Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Ignorado por organizada, Valdivia garante não se incomodar

Yan Resende, especial para a GE.Net São Paulo (SP)

A principal torcida organizada do Palmeiras parece estar longe de fazer as pazes com Valdivia. Neste domingo, antes do empate em 1 a 1 com o Audax, a Mancha Verde gritou o nome de todos os jogadores do Verdão, mas ignorou o meia chileno. Após a partida, questionado sobre o ato, o camisa 10 até brincou com a situação. O Mago devolveu a pergunta ao repórter: “Não me incomoda, te incomoda?”. E sorriu.

A resposta dos torcedores comuns, aliás, foi imediata após a ‘ignorada’ da organizada. Depois de ver o nome dos outros dez jogadores serem gritados, Mago foi ovacionado no Pacaembu e respondeu dentro de campo. Responsável por orquestrar o Palmeiras, criou muitas chances de gols para a equipe de Gilson Kleina e lamentou ter ficado apenas no empate.

“Poderíamos ter saído com uma goleada pelas chances que nós criamos. Acho que foram quatorze chances criadas, e, em um jogo, isso é absurdo. Foi um jogo bom para a gente, mas, infelizmente, o segundo gol não veio”, disse Valdivia, que garantiu estar em boas condições físicas para o clássico do próximo domingo, contra o Corinthians, no Pacaembu.

O treinador Gilson Kleina comentou a situação do meia, afirmando que o desgaste apresentado pelo camisa 10 nos minutos finais da partida deste domingo é algo natural. Valdivia ajudou a pressionar a saída de bola do Audax ao longo de toda primeira etapa, correu muito para tentar surpreender os adversários e não escondeu sua exaustão após o apito final.

“Como ele ficou a semana inteira treinando, como foi o nosso planejamento, ele estava bem para o jogo. No final, houve um desgaste natural, principalmente pelo o que nossa equipe se propôs a fazer. O Valdivia fez uma função que normalmente não se faz o tempo todo no jogo”, explicou o treinador do Palmeiras, que destacou a motivação do meia chileno.

“Vejo o Valdivia muito motivado não só esse ano, mas desde o ano passado, quando começamos a fazer esse monitoramento. Quando ele entendeu isso e aceitou, perdeu peso e agora está mais forte e mais participativo. Claro que isso o motivou em outras instâncias, já que o Palmeiras fez com que ele voltasse à seleção em um ano de Copa do Mundo”, concluiu Gilson Kleina.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade