Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Invicto no Palmeiras desde março, Valdivia só tem título como meta

William Correia São Paulo (SP)

Valdivia teve problema em todos os jogos importantes do Palmeiras desde sua volta, em agosto de 2010, sendo desfalque na maioria. No ano passado, ficou fora das partidas mais importantes, com exceção do duelo do acesso na Série B do Brasileiro. Mas sua meta não é só diminuir esta estatística. O jogador mais caro do elenco até minimiza a invencibilidade individual de quase um ano no clube para pensar apenas em ser campeão.

“Tomara que não aconteça, mas, se ficarmos com o título não sendo invictos, não muda nada. O que mais interessa para o Palmeiras é conquistar o Paulista, o primeiro campeonato do ano. Ficar invicto ou não é um detalhe a mais”, falou, adotando discurso coletivo. “Ser campeão é o nosso primeiro objetivo. Terminar invictos um campeonato longo e difícil, com excelentes times, seria uma felicidade extra.”

Valdivia não perde pelo Verdão desde 6 de março de 2013, quando o time foi derrotado pelo Tigre por 1 a 0, na Argentina, pela Libertadores. No dia seguinte, membros da Mancha Alviverde tentaram agredir o meia e atiraram xícaras contra o elenco em aeroporto de Buenos Aires.

Pouco depois do problema, o chileno teve lesão muscular que o deixou sem atuar por mais de 100 dias, mas passou a ser poupado até de treinamentos pela comissão técnica e figurar com mais frequência nos jogos. Hoje, acumula pelo clube 25 partidas sem derrota, com 16 vitórias e nove empates.

Divulgação
Meia está invicto no clube há 25 jogos (Crédito da foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação)
“Não entro em campo sozinho, não ganho nem perco sozinho. Essa estatística não é mérito só de um jogador. É um pouco de coincidência também, porque são muitos jogos e difíceis. Tive sorte de que, bem na hora em que joguei, o time ganhou”, minimizou Valdivia, esperando que, como ele, seus colegas não se deslumbrem com a invencibilidade na temporada.

“Há muitos exemplos de times que chegaram muito bem e não ganharam nada. Aqui, as palavras-chaves de todos os jogadores são pés no chão e humildade. Tem muito pela frente ainda, muitos jogos, e encaramos cada um deles como uma final”, ensinou o meia, campeão paulista pelo Verdão em 2008.

“Conquistar o título é consequência do nosso trabalho diário. Pela nossa campanha, falam que somos favoritos e tem que ser assim. O Palmeiras, assim como Corinthians, Santos e São Paulo, é sempre candidato ao título, não tem por que ser diferente”, declarou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade