Futebol/Campeonato Paulista - ( )

Kleina nega maior pressão por tentar manter invencibilidade no Derby

Yan Resende, especial para a GE.Net São Paulo (SP)

O Palmeiras não tem mais 100% de aproveitamento, já que ficou apenas no empate, em 1 a 1, com o Grêmio Osasco Audax neste domingo, no Pacaembu. O time comandado por Gilson Kleina, no entanto, ainda tem a melhor campanha do Campeonato Paulista, com seis vitórias e um empate. Na próxima rodada, o clube do Palestra Itália vai colocar sua invencibilidade à prova diante do arquirrival Corinthians, mas o treinador alviverde nega que esse fato possa colocar uma pressão maior.

“Já existe a pressão natural para o clássico, agora imagina se a ainda colocarmos que precisamos render tudo o que rendemos até o momento. Em um jogo dessa grandeza, precisamos manter o equilíbrio em todos os sentidos, para montar a melhor equipe possível”, afirmou Kleina, ao garantir que tentará passar para os jogadores que o retrospecto até o momento não deve ser levado em conta.

O treinador do Palmeiras, aliás, também não deixou de falar sobre o momento vivido pelo Corinthians, que já está a cinco jogos sem vencer no Campeonato Paulista. Para Gilson Kleina, o fato de o rival passar por uma fase pior não significa que sua equipe seja favorita para o clássico. “Nessa hora, não importa se você esta 100% ou se está lá embaixo. É um jogo que pode virar um divisor de águas e todo mundo se mobiliza para essa situação”.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Para o treinador Gilson Kleina, o fato de defender a invencibilidade não aumenta a pressão no Derby
Garantido por Kleina para entrar em campo no importante confronto com o Corinthians, Valdívia também falou sobre as suas expectativas para o Derby. O meia chileno seguiu o discurso de que o confronto exigirá atenção redobrada, já que deve ser decidido nos detalhes, mas ressaltou que, mesmo com as duas equipes em situações distintas, não será diferente de outros clássicos já disputados.

“É um clássico que envolve um antes e um depois, envolve torcida, tristeza e alegria, não vai ser diferente de todos os outros clássicos que a gente já jogou. Vai ser um jogo difícil, de muita marcação, definido em lances pequenos. Vai exigir muita aplicação, muita concentração e espero ter um bom jogo”, projetou Valdívia, que atuou os 90 minutos neste domingo e teve uma boa atuação com a camisa 10 do Palmeiras.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade