Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Mano culpa falta de entrosamento por erros defensivos do Corinthians

Helder Júnior São Paulo (SP)

O técnico Mano Menezes não esconde a sua insatisfação quando ouve críticas de comentaristas esportivos ao Corinthians. Depois de desabafar em público contra quem questionou a forma física do meia Jadson, o gaúcho aproveitou a vitória por 3 a 2 sobre o Rio Claro para contestar uma análise sobre o mau rendimento defensivo de sua equipe.

Mano não gostou de escutar que não tinha o direito de reclamar de falta de entrosamento, já que a base da defesa vitoriosa com Tite estava mantida para 2014. “Ao contrário de um comentário que ouvi, penso que mudar três jogadores em uma linha de quatro é muita coisa. Até porque não vejo só a última parte da defesa, e sim um sistema. Jogar em linha de quatro lá atrás exige entrosamento e muita conversa durante o jogo. Nossos jogadores não têm a característica de falar tanto. Por isso, a gente ainda sai da formação às vezes”, comentou, na noite deste sábado, no vestiário do Pacaembu.

Do sistema defensivo corintiano de 2014, o volante Ralf e o zagueiro Gil continuam como titulares. Paulo André seguiu para o futebol chinês há pouco tempo. Felipe assumiu o posto, porém já perdeu espaço para Cleber, autor de um gol contra o Rio Claro. Nas laterais, Fagner passou a ocupar a vaga do aposentado Alessandro e Uendel herdou a posição do lesionado Fábio Santos.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Contra o Rio Claro, Cleber ganhou a vaga de Felipe na zaga e foi festejado por seus companheiros
Em fase de entrosamento, a defesa do Corinthians voltou a ficar exposta contra o Rio Claro. O técnico Fahel Júnior chegou a orientar a sua equipe a explorar as cotas dos laterais Fagner e Uendel – que, de fato, deram brechas para o time do interior paulista. “Não gosto de comentar o que os outros falam”, rebateu Mano, de novo incomodado.

De qualquer forma, o treinador reconheceu que o Corinthians voltou a ter dificuldades em sua linha de quatro defensores. “Oscilamos. Sabíamos que o Rio Claro exigiria muito, pois vinha de vitórias e tem um grande condicionamento físico. Mesmo com chances para matar o jogo, sofremos um pouco. Queremos diminuir isso nas próximas partidas”, comentou.

Mas Mano não viu somente problemas no sistema defensivo do seu time. Gil, por exemplo, foi elogiado na função do contestado Felipe. “Ele foi bem, mais firme, regular. Antes, eu achava que as características do Felipe eram as mais adequadas para formar dupla com o Gil. Mas uma coisa é uma coisa, e outra coisa é outra coisa. Tivemos o cuidado de não expor o Felipe depois da falha técnica contra o Palmeiras. Agora, o que fala é o resultado em campo”, disse, satisfeito com o 3 a 2 que obteve neste final de semana.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade