Futebol - ( )

Em reformulação, Mano dá chance a Sheik e diz não descartar ninguém

Marcos Guedes São Paulo (SP)

Mano Menezes já deixou claro que acha “extremamente necessária” uma reformulação no Corinthians. Foi para isso que ele assumiu a equipe e foi por isso que aprovou as saídas de Ibson, Douglas e Alexandre Pato. Também na lista de atletas dos quais o clube está louco para se livrar, Emerson deverá ser escalado neste domingo.

A julgar pelos treinamentos, o jogador de 35 anos ganhou a posição de Paolo Guerrero. De acordo com o treinador, para quem o clube “deve olhar para a frente, não para trás”, o herói da conquista da Copa Libertadores de 2012, em baixa desde o ano passado, pode ganhar seu espaço se mostrar um bom trabalho.

“O Emerson tem contrato com o Corinthians. Todos estão à disposição, e não temos restrição com ninguém. Por isso ele está aí com possibilidade de entrar. Ele tem se colocado com empenho nos treinamentos e entrado nos jogos da mesma maneira”, afirmou Mano.

“Procuro ser coerente e justo com os atletas. Busco soluções, não adianta ficar excluindo este ou aquele. Quem está aqui pode fazer parte do time. Isso valeu para o Ramírez, e a gente tinha antes a ideia de que fosse emprestado. Mas o dia a dia mostrou que merecia uma oportunidade. Também vale para o Emerson”, acrescentou.

Divulgação/Agência Corinthians
Emerson está tentando se recuperar no Corinthians apesar da resistência da torcida (foto: Daniel Augusto Jr.)
Confirmada a entrada do Sheik no lugar de Paolo Guerrero, o Corinthians deverá ter uma movimentação maior contra o Mogi Mirim, no interior. Não havendo nenhuma surpresa, o atleta de Nova Iguaçu formará a dupla de frente com Romarinho, outro atacante de mobilidade.

“Quando você muda a característica de uma formação, você sempre perde alguma coisa e ganha alguma coisa. Com o Paolo, temos um homem de referência e de acabamento, mas precisamos fazer essa bola chegar em condição melhor, temos que dar opção aos jogadores de meio na penúltima bola. Essa formação dá outras alternativas. Quando o Paolo está, é um tipo de bola. Quando o Emerson Sheik está, a bola tem que ser diferente”, explicou Mano, que preferiu não confirmar previamente a alteração.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade