Futebol - ( )

Mano tenta ajeitar Corinthians e se recusa a resumir problemas a atitude

Marcos Guedes São Paulo (SP)

Mano Menezes repetiu, em sua primeira crise na volta ao Corinthians, algo que já fez bastante em sua passagem anterior pelo clube. O treinador se recusou a atrelar a derrota por 5 a 1 para o Santos e o mau momento a qualquer falta de empenho, procurando resolver no campo os problemas ali apresentados.

“Acredito em posicionamento, postura tática, desempenho. É muito fácil para o técnico resumir dizendo que faltou atitude. Atitude é um conjunto de situações. É comum a equipe não encontrar o adversário em campo na marcação e dizer que faltou pegada, atitude. Primeiro, faltou posicionamento. Atitude, para mim, é um conjunto de ações”, afirmou.

“O futebol não se resume só a vontade. Não posso reclamar de falta de vontade. Muito pelo contrário. Foi um resultado atípico, e você não trabalha em cima da exceção. A exceção traz lições, pode funcionar como divisor de águas, mas não vou desestabilizar a equipe em cima de uma exceção”, acrescentou.

A falta de empenho foi apontada como um dos grandes problemas do time no segundo semestre do ano passado, um período ruim após duas temporadas cheias de conquistas importantes. O assunto voltou à tona com a goleada da última quarta, e o gerente de futebol Edu Gaspar pediu “atitude de Corinthians”.

“Seria um absurdo eu fazer uma análise sobre o que estava acontecendo na temporada passada. Não tenho direito, não estava aqui. Sobre este momento que estamos passando, é natural no início da temporada. Os jogadores estão trabalhando forte”, discordou Mano, negando qualquer falta de disposição do elenco.

“Neste início, a produção de uns demora mais para chegar. Para outros, demora menos. Mas todos estão trabalhando, não vejo ninguém acomodado. Seria cômodo para o técnico transferir a questão para a vontade. Futebol não se resume a isso, é bem mais complexo”, resumiu o gaúcho.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade