Futebol/Copa 2014 - ( - Atualizado )

Ministro duvida que invasão a CT interfira na Copa e crê em prisões

Helder Júnior São Paulo (SP)

Aldo Rebelo não quer associar a violenta invasão de torcedores do Corinthians ao CT Joaquim Grava – para protestar, além de praticar furtos e ameaçar e agredir funcionários do clube – com a Copa do Mundo de 2014. Questionado sobre a segurança do local que receberá a seleção do Irã durante o torneio, o ministro do Esporte deu de ombros, nesta segunda-feira.

“O episódio não tem nenhuma relação com a Copa do Mundo. Foi algo dirigido contra um clube, sem qualquer ligação”, bradou Rebelo, que visitou o CT do São Paulo (onde a seleção dos Estados Unidos ficará hospedada) pela manhã.

Apesar de se dizer preocupado com a violência de torcedores uniformizados, o ministro do Esporte avisou que o Brasil se prepara para receber um público mais pacífico durante o Mundial. “Não creio que a Copa seja um torneio que se preste a esse tipo de episódio. Assim mesmo, preventivamente, o governo e as autoridades policiais cuidam para evitar as presenças de torcedores violentos nacionais e estrangeiros”, garantiu.

Rubens Chiri/www.saopaulofc.net
Em visita ao CT do São Paulo, Rebelo deu as costas para a interferência da violência brasileira na Copa
Para Aldo Rebelo, punir os responsáveis pela confusão no CT do Corinthians é um passo fundamental para combater a violência no futebol brasileiro. Como exemplo, o ministro citou mais de uma vez as prisões de alguns torcedores de Atlético-PR e Vasco, que se confrontaram em Joinville, na última rodada do Campeonato Brasileiro de 2013.

“Em Santa Catarina, não houve prisões em flagrante, mas elas foram realizadas depois. Os acusados foram presos para que a Justiça desse prosseguimento ao seu trabalho. A lei já autoriza que a autoridade policial e o Poder Judiciário adotem as medidas cabíveis nos episódios de violência do futebol. É o que esperamos que aconteça aqui, em São Paulo. O próprio clube fez a denúncia e pediu que as providências fossem tomadas”, discursou.

Aldo Rebelo ainda defendeu que o Poder Judiciário tem se preocupado em não se escorar somente nas punições previstas no Estatuto do Torcedor para inibir o público violento. “O Estatuto já prevê prisão e flagrante e banimento dos torcedores. Agora, o Conselho Nacional de Justiça enviou a sugestão de se criarem varas especializadas em casos desse tipo. Existe também a orientação para a implantação de delegacias específicas, já que muitas vezes os casos envolvem dezenas ou até centenas de torcedores”, afirmou o Ministro do Esporte. Mais de cem pessoas estavam envolvidas na invasão ao CT do Corinthians.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade