Futebol/Copa do Rei da Espanha - ( )

No aniversário de Cristiano Ronaldo, Di María brilha, e Real faz 3 no Atlético

Madri (Espanha)

No dia em que o melhor jogador do mundo completou 29 anos de idade, Angel Di María deu o presente à torcida do Real Madrid. Nesta quarta-feira, em jogo válido pela ida das semifinais da Copa do Rei da Espanha, o meia-atacante argentino ofuscou um apagado Cristiano Ronaldo e foi (mais do que) decisivo na vitória por 3 a 0 sobre o rival Atlético de Madrid, no Santiago Bernabéu.

O camisa 22 foi o grande nome de uma partida muito nervosa. Pontapés, empurrões e discussões – principalmente entre Pepe e Diego Costa – foram constantes no duelo, que se decidiu no talento do canhoto. Na metade do primeiro tempo, ele se livrou de dois marcadores e rolou para o zagueiro luso-brasileiro encher o pé e contar com um desvio na zaga para abrir o placar. No início do segundo, puxou a marcação da esquerda para o meio e descolou um lindo passe para Jesé ampliar. Depois, arriscou de fora da área e também contou com a sorte para marcar o terceiro.

Foi a primeira derrota do Atlético de Madrid desde o 1 a 0 sofrido diante do Espanyol, no dia 19 de outubro de 2013, pela 9ª rodada do Campeonato Espanhol. Foi, também, o primeiro tropeço dos Colchoneros nos três últimos clássicos contra o Real, que havia sido derrotado por 2 a 1, em casa, na final da Copa do Rei do ano passado, e por 1 a 0 no confronto do primeiro turno da Liga BBVA.

Agora, as duas equipes voltam a se enfrentar na próxima terça-feira, às 18 horas (de Brasília), pelo jogo de volta das semifinais da Copa do Rei. O jogo será disputado no estádio Vicente Calderón, e quem passar pega o vencedor da outra partida de semifinal, disputada entre Barcelona e Real Sociedad. O time comandado por Carlo Ancelotti só não avança se for derrotado por quatro gols de diferença.

AFP
Angel Di María ofuscou o aniversariante Cristiano Ronaldo, fez um gol e deu duas assistências no clássico

O Jogo- Antes de a partida começar, o Atlético de Madrid saiu na frente do Real Madrid. Enquanto os Merengues tiveram o inesperado desfalque de Gareth Bale, com problemas na panturrilha esquerda, os Colchoneros puderam contar com o retorno do turco Arda Turan, e com o brasileiro recém-contratado Diego, que foram titulares. Quando a bola rolou, porém, o time da casa se mostrou superior. Até os 10 minutos, somente o Real havia levado perigo à meta adversária, em cabeçada de Benzema e finalização de Modric.

O primeiro lance incisivo do confronto, porém, foi protagonizado pelo Atlético de Madrid. Aos 12 minutos, Gabi cruzou pela direita, Arda Turan se antecipou a Sergio Ramos e testou firme no centro do gol, obrigando Casillas a fazer bela defesa. Cinco minutos depois, no entanto, a resposta blanca foi precisa. Di María se livrou de dois marcadores no meio de campo e rolou para Pepe. O zagueiro luso-brasileiro avançou com espaço e encheu o pé da entrada da área. A bola desviou em Emiliano Insúa e matou Courtois: 1 a 0 Real Madrid.

O jogo, então, esquentou. Em uma área, Diego Costa trocou empurrões com Arbeloa e Pepe. Na outra, Miranda calçou Di Maria, e o árbitro não marcou pênalti. Entre elas, o autor do gol merengue voltou a se desentender com o atacante hispano-brasileiro e recebeu cartão amarelo. Pouco tempo depois, Diego derrubou Cristiano Ronaldo na maldade e também foi punido. Quando a bola voltou a ser o centro das atenções, o Real assustou com fortes arremates de Di Maria, Jesé Rodríguez e Modric. O Atlético não conseguia sai de trás e foi para os vestiários no lucro.

AFP
O jogo foi muito nervoso no Santiago Bernabéu; Diego Costa - para variar - foi advertido com cartão amarelo

Na volta para o segundo tempo, Simeone sacou o irritado Diego, que já tinha cartão amarelo, e colocou o meia-atacante uruguaio Cristian “Cebolla” Rodríguez, para dar mais velocidade ao ataque colchonero. A substituição, porém, não funcionou, e o time da casa seguiu melhor em campo. Aos seis minutos, Cristiano Ronaldo partiu para cima da marcação, pedalou e bateu firme. Sem muitos problemas, Curtois pegou no meio do gol. Cinco minutos mais tarde, Di María voltou a desequilibrar. O argentino puxou a marcação da esquerda para o meio e achou um passe espetacular, de trivela, para Jesé Rodríguez só tocar na saída do arqueiro: 2 a 0 Real Madrid.

No lance seguinte, o camisa 22 ariscou de muito longe, a bola fez uma linda curva e quase traiu Curtois, que espalmou para fora. Depois, ele se enroscou com Diego Costa e cavou um cartão amarelo para o adversário. Faltava, porém, um gol a Di María. E os deuses do futebol trataram de providenciá-lo. Aos 28, ele aproveitou sobra na entrada da área e fuzilou de pé esquerdo. A bola se dirigia à linha de fundo, mas tocou em Miranda e matou o goleiro adversário: 3 a 0.

A comemoração foi intensa. Menor apenas que os aplausos do Santiago Bernabéu quando Carlo Ancelotti tirou o argentino e colocou Illarramendi em campo. No aniversário de Cristiano Ronaldo, Di María deu um show. Praticamente garantiu o Real Madrid na grande final da Copa do Rei da Espanha.

AFP
Cristiano Ronaldo completou 29 anos de idade nesta quarta-feira, mas não jogou bem contra o Atlético de Madrid

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade