Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Pabon diz se sentir bem como armador, mas sonha com 1º gol

São Paulo (SP)

Atuar como centroavante, como fez na estreia pelo São Paulo (no único compromisso do ano em que Luis Fabino foi poupado), não é a de Dorlan Pabon. Mas jogar como um pouco mais atrás dos demais atacantes até que agrada ao colombiano, que tem sido escalado assim pelo técnico Muricy Ramalho nas últimas partidas.

"Gostei dessa função, porque me senti bem. Já fiz isso em outros clubes, atuei em diversas posições e sempre agradei onde me colocaram", disse ao site do clube.

Pabon gosta desse setor do campo porque tem por característica arriscar arremates de longa distância, de fora da área. Tentou alguns, inclusive, no clássico de domingo, dando algum trabalho ao goleiro santista Aranha. Mas a ideia inicial do treinador é que, ali, ele seja uma espécie de armador, dê passes e tabele principalmente com Luis Fabiano.

Não é exatamente o que Pabon prefere. O que o jogador de 26 anos emprestado pelo Valencia (Espanha) quer mesmo é balançar a rede.

"Partida a partida, vou ganhando mais confiança para ajudar o time. Quero marcar gols, que é a minha próxima meta, e me firmar de vez na equipe. Tenho treinado forte, porque quero que isso aconteça o quanto antes", comentou.

Às 22 horas (de Brasília) desta quinta-feira, o camisa 22 vai mais uma vez compor o sistema ofensivo com Luis Fabiano, Douglas e Osvaldo. No Barão de Serra Negra, o São Paulo visita o XV de Piracicaba em busca da primeira vitória após quatro jogos (uma derrota e três empates).

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade