Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Palmeiras sofre gol de carrasco, mas arranca empate do Corinthians

Helder Júnior São Paulo (SP)

O Corinthians quase reencontrou a paz. Neste domingo, dois dias após se unir ao Palmeiras para combater a violência no clássico do Pacaembu, o time dirigido por Mano Menezes chegou a abrir o caminho para a vitória sobre o rival com um gol do atacante Romarinho, com status de carrasco palmeirense. Mas os visitantes reagiram e chegaram ao empate por 1 a 1 através do centroavante Alan Kardec, no final.

Na tentativa de ser o primeiro time a vencer o Palmeiras em 2014, temporada do centenário do clube adversário, o Corinthians contou com uma grande atuação do estreante Jadson. O meia vindo do São Paulo teve uma postura completamente diferente daquela apática do atacante Alexandre Pato e comandou as investidas do seu time. Bruno Henrique também estreou no meio-campo, e o goleiro Cássio voltou de contusão.

Apesar de festejar as novas alternativas que ganhou para ajustar o Corinthians – e lamentar a queda de rendimento na hora decisiva do clássico –, Mano Menezes ainda não desfruta de tranquilidade na tabela de classificação do Campeonato Paulista. A sua equipe figura na última colocação do grupo B, com 8 pontos ganhos, e não vence há seis rodadas (quatro derrotas e dois empates).

Já o Palmeiras, vibrando com a reviravolta diante do grande rival, não viu abalada a sua situação confortável na chave D. O time liderado por Gilson Kleina ostenta a liderança isolada, com 20 pontos. Na noite de quarta-feira, quando o Corinthians visitará o Oeste, retornará ao Pacaembu para jogar contra o Ituano.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Romarinho só não marcou mais de um gol porque parou na boa atuação do goleiro Fernando Prass
O jogo – Após promover a paz com o Palmeiras na sexta-feira, o Corinthians entrou em campo neste final de semana com espírito de guerra. O estreante Jadson, uma das novidades na escalação diante do Palmeiras, foi o primeiro a mostrar disposição e cometer uma falta – com menos de um minuto de clássico. “O quê? O quê? O pau vai quebrar!”, ainda cantavam os torcedores, em ameaça caso a vitória não viesse novamente.

Jadson e o público não eram os únicos empolgados no Pacaembu. Os atacantes Romarinho e Guerrero pressionaram a saída de bola do Palmeiras desde os primeiros minutos de partida, criando dificuldades para o time visitante organizar as suas investidas. O susto foi maior aos 12 minutos, já que o lateral Fagner clareou da direita e chutou forte, buscando o ângulo. “Gol!”, gritaram alguns corintianos, quando a bola tocou o lado de fora da rede.

Com a tranquilidade de quem tem 100% de aproveitamento na temporada, os jogadores do Palmeiras tentavam não se deixar levar pelo volume de jogo do Corinthians. O meia chileno Valdivia chegou a confundir a marcação adversária com dribles curtos e enfiadas de bola, apesar de Leandro e Alan Kardec não aparecerem tanto. A saída era apostar no volante Marcelo Oliveira, que se projetava para surpreender a defesa rival.

Quando o Palmeiras começava a melhorar, Valdivia caiu em campo, reclamando de dores. Era a chance de Mano Menezes estruturar ainda mais o Corinthians. Aos berros, o gaúcho chamou Jadson, que estava do outro lado do campo, para passar orientações diante do banco de reservas. O técnico queria que o meia aproveitasse ainda mais a sua qualidade de passe, fazendo parceria com o também estreante Bruno Henrique.

Aos 22 minutos, a dupla funcionou. Bruno Henrique fez o cruzamento da esquerda depois de boa jogada de Jadson. Romarinho deu um leve desvio na bola dentro da área – o suficiente para deixar Guerrero livre para fazer o gol. O peruano pareceu não acreditar na oportunidade e errou a conclusão. Mais incrédulos ainda ficaram os torcedores, com a chance desperdiçada pelo Corinthians.

Fernando Dantas/Gazeta Press
O estreante Jadson foi o grande destaque do Corinthians diante do Palmeiras de Leandro
O Palmeiras se apressou para dar uma resposta. Quase conseguiu quando o zagueiro Felipe, o substituto de Paulo André, fez arte ao entregar a bola para Leandro e cair no gramado. O atacante avançou bem, porém Jadson apareceu para ajudar a defesa corintiana. Na sequência, aos 25, os visitantes incomodaram ainda mais com Mazinho, que recebeu assistência de Valdivia e entrou na área com liberdade antes de bater firme. Recuperado de contusão, o goleiro Cássio mostrou estar em forma ao fazer boa defesa.

Animado com a sua evolução, o Palmeiras finalmente finalizou com os seus atacantes, nos últimos minutos do primeiro tempo. Alan Kardec e Leandro erraram o alvo nas tentativas de fora da área. Na defesa, quase um gol contra. Wellington completou um cruzamento de Jadson com a cabeça e vibrou quando viu a bola subir. Foi o último lance de perigo antes do intervalo, que terminou com aplausos para o Corinthians.

O time da casa pareceu sentir o bom ambiente que criara no Pacaembu. Sem alterações, começou o segundo tempo com a mesma postura ofensiva do primeiro. Jadson levantou a torcida logo no primeiro minuto, com um chute rasteiro da entrada da área, que passou perto do gol. Já Guilherme trouxe o público para dentro de campo ao fazer grande jogada pela direita e acertar o travessão na conclusão.

Percebendo que o momento era ruim para o Palmeiras, o técnico Gilson Kleina recorreu à entrada de Marquinhos Gabriel no lugar de Mazinho, aos nove minutos. Não foi o bastante para conter o ímpeto corintiano. Aos 11, Romarinho ficou sem marcação dentro da área depois de passe de Guilherme e (desta vez) não justificou a fama de carrasco palmeirense ao bater em cima do goleiro Fernando Prass.

Arte GE.Net
Romarinho não foi o único a desperdiçar uma chance dessa maneira. Logo em seguida, Guerrero fez o mesmo após ajeitada de bola do seu companheiro de ataque. O peruano chegou a se aproximar da pequena área, porém também parou em Fernando Prass. Alguns torcedores do Corinthians começaram a se impacientar com a jogada. Outros souberam ser pacientes.

Aos 15 minutos, o Corinthians enfim foi premiado pelo seu empenho. Guilherme escapou da marcação de Juninho e passou para Fagner entrar na grande área e cruzar rasteiro. A bola foi aos pés dele, do grande carrasco palmeirense de clássicos recentes. Romarinho empurrou a bola para dentro e foi comemorar com a torcida, de novo em êxtase nas arquibancadas do Pacaembu.

O Palmeiras deixou o campo de defesa, desorganizado, para buscar a reação depois de sofrer o gol. Kleina buscou corrigir os problemas de sua equipe com Mendieta na vaga de Leandro, aproveitando o fato de o Corinthians ter perdido um pouco do seu entusiasmo para atacar. Mano quis dar novo fôlego aos donos da casa com Renato Augusto, Cachito Ramírez e Jocinei nas posições de Jadson (justamente ovacionado), Bruno Henrique e Romarinho.

Com as mudanças, o Corinthians se apegou à vitória parcial, à espera de o jogo acabar. O Palmeiras, contudo, ainda estava em campo. Aos 37 minutos, Diogo, que havia acabado de substituir Wellington, fez um cruzamento preciso da direita. Dentro da pequena área, Alan Kardec deu mais um argumento a quem quer vê-lo na Seleção Brasileira – subiu para colocar a bola na rede e devolver a alegria ao lado alviverde do Pacaembu.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade