Futebol - ( - Atualizado )

Parte das câmeras falha, e Timão busca explicação com Polícia Científica

Marcos Guedes São Paulo (SP)

Na busca por imagens da confusão do último sábado, quando mais de cem torcedores invadiram o centro de treinamento – e, segundo relatos de funcionários, cometeram furtos, roubos e agressões sob o pretexto de protestar –, o Corinthians disse não ter encontrado tudo o que esperava. De acordo com o clube, parte das cerca de 30 câmeras não funcionou.

O problema com o equipamento aconteceu três minutos antes da invasão. Uma das câmeras que parou de funcionar foi a da sala de fisioterapia, um dos locais nos quais houve uma violência maior. Mas, segundo a agremiação do Parque São Jorge, há material suficiente para a identificação das pessoas que participaram do protesto violento.

“Foram algumas câmeras que pararam de funcionar, não todas. Não acredito que as investigações sejam prejudicadas porque há imagens suficientes. Vamos levar esse material para a polícia e para o Ministério Público”, afirmou o diretor de futebol alvinegro, Ronaldo Ximenes.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Segurança está reforçada no CT do Parque Ecológico desde a invasão de sábado
De toda forma, o dirigente disse considerar “muito estranho” que o equipamento tenha sofrido qualquer tipo de pane justamente minutos antes da invasão. Por isso, o servidor responsável pelo armazenamento das imagens será entregue à Polícia Técnico-Científica para investigação.

“Primeiro, devemos uma satisfação a nós mesmos. Como as câmeras param de funcionar? Elas foram interrompidas? Será que a ideia não era que todas parassem de funcionar. Então, lacramos o servidor e vamos ver qual foi o motivo do problema”, disse Ximenes.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade