Futebol/Amistoso - ( - Atualizado )

“Preparado para tudo”, Fernandinho agradece City por volta à Seleção

Tarcísio De Lucca e Bruno Oliveira, especial para a GE.net São Paulo (SP)

Fernandinho não conseguiu se desgrudar do telefone na tarde desta terça-feira, em Manchester, na Inglaterra. O bate-papo? A nova convocação do volante para a Seleção Brasileira, desta vez praticamente definida para mais uma Copa do Mundo.

Em entrevista para a Gazeta Esportiva.net, o brasileiro comemorou a volta ao time nacional – agora, o jogador pode ser considerado com um pé na lista do Mundial – e admitiu: a troca do ucraniano Shakhtar Donetsk pelo Manchester City mudou os olhos do técnico Felipão.

Após dois anos de espera, Fernandinho voltará a defender o País, contra a África do Sul, amistoso marcado para dia 5 de março, em Johanesburgo. Lá, o Brasil deverá encerrar a sua preparação oficial para o evento mais aguardado desde 2010.

E a maior expectativa dele é a de causar a famosa dor de cabeça boa no treinador gaúcho, pressionado até pelo meia Nasri, companheiro de Fernandinho no City. O atleta se diz “preparado para tudo” nesta busca pela vaga.

AFP
Fernandinho considera sua ida ao Manchester City fundamental para ser lembrado por Felipão (Foto: Lindsey Parnaby)
Gazeta Esportiva.net: Você voltou a ser convocado pela Seleção Brasileira após dois anos. O que sente neste momento?
Fernandinho: Estou muito feliz, mesmo. Muita gente desistiria depois de dois anos longe, mas batalhei, perseverei. Um dos principais motivos de ter ido para o City foi para ter mais visibilidade, chamar mais atenção do Felipão, e deu certo. Agora é continuar trabalhando.

GE.net: Acha que essa convocação te colocou muito mais próximo da Copa do Mundo?
Fernandinho: Acho que ainda é muito cedo para dizer quem vai disputar a Copa. Muitas posições ainda estão em aberto, acho muito cedo para a gente ver isso. Mas que é uma grande oportunidade de poder desempenhar um bom papel e abrir uma porta, isso é.

GE.net: Como ficou sabendo da convocação?
Fernandinho: Assisti à convocação ao vivo. Treinei pela manhã e acompanhei pela internet. Muita gente me ligou, dormi muito tarde.

GE.net: O que acha do amistoso contra a África do Sul?
Fernandinho: Acho que vai ser um jogo muito difícil, um teste muito difícil para a Seleção. Jogar contra eles lá é muito difícil, ganharam da Espanha em um amistoso (1 a 0 para os sul-africanos, em novembro). Todo mundo quer jogar esse tipo de jogo. Quero ter uma atuação de destaque para o Felipão ter uma dor de cabeça boa.

GE.net: Acha que fez algo de diferente para chamar a atenção do Felipão?
Fernandinho: Não sei se fiz algo de diferente. O Manchester City tem jogado bem, está mantendo o nível há uns dois meses. Começamos a temporada mal, mas achamos uma forma melhor de jogar. Consegui manter esse nível.

GE.net: O City realmente foi o diferencial para você aparecer mais?
Fernandinho: Foi muito importante. Nos meses de dezembro e janeiro me destaquei mais do que me destacaria se estivesse jogando na Ucrânia. Lá, estaria de férias ou na pré-temporada. No City, todo mundo passou a acompanhar os meus resultados.

GE.net: Quem seria seu companheiro ideal no meio-campo do Brasil?
Fernandinho: Acho que a Seleção tem um elenco muito forte, os jogadores mostraram isso na Copa das Confederações. Se tiver oportunidade de jogar, não posso escolher companheiros.

Divulgação/CBF
Fernandinho estava longe das convocações havia dois anos, mas não se considera nome certo para Copa
GE.net: Poderia ser recuado ou avançado no meio-campo?
Fernandinho: Nunca tive problemas com o posicionamento, tanto é que aqui atuo tanto como primeiro volante quanto como segundo. Sempre tive essa facilidade. Se o Felipão precisar, estou preparado para fazer tudo.

GE.net: É mais próximo de alguém da lista dos convocados?
Fernandinho: Ainda não tive muito tempo para ver a lista, só dei uma olhada rápida. Mas tem o Rafinha, do Bayern de Munique. Somos amigos, começamos a jogar praticamente juntos. Tem o Willian também, com quem joguei muito no Shakhtar, por cinco anos. E tem outros com quem já joguei nas categorias de base da Seleção e nas outras convocações. Acho que não serei um estranho lá.

GE.net: Acha que é muito diferente do Paulinho e do Ramires?
Fernandinho: Os dois têm características de chegar mais na área. Meu estilo de jogo é mais de posse e toque de bola.

GE.net: Acha que está à frente de Hernanes, que ficou de fora desta convocação?
Fernandinho: É difícil dizer com relação aos outros jogadores, porque nunca sabemos o que se passa na cabeça do Felipão. Cada um está fazendo o seu trabalho, o importante é que tive a chance de ser convocado.

GE.net: No ano passado, o meia francês Nasri, também do City, disse que não sabia o motivo de você não ser convocado para a Seleção. Acha que o questionamento dele ajudou?
Fernandinho: Ele é um companheiro de treinos e jogos, né? Fez a pergunta e ganhou uma repercussão. Mas, naquela época, a Seleção não estava jogando e nem convocando.

GE.net: Para você, quais serão os outros jogadores que atuam no Brasil na convocação?
Fernandinho: Acompanho o Campeonato Brasileiro sempre que posso, gosto de assistir aos jogos, mas é difícil saber quem será convocado. Não sei, temos que esperar para ver.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade