Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Rio Claro marca de pênalti no fim e busca empate diante do Ituano

Rio Claro (SP)

Na abertura da sétima rodada do Campeonato Paulista, o Ituano tentou complicar ainda mais a vida do Corinthians pelo Grupo B, mas foi castigado nos acréscimos. Depois de abrir o placar, resultado que colocaria o Timão na lanterna da chave, o time rubro-negro não conseguiu segurar o resultado e sofreu o gol nos acréscimos do segundo tempo: 1 a 1 diante do Rio Claro.

Após um confronto muito equilibrado, sem muitas chances de gols para os dois lados, os dois times precisaram da bola parada para marcar. No segundo tempo, Anderson Sales cobrou fala com perfeição, no ângulo do goleiro Cleber. Já nos acréscimos, Léo Cosa marcou de pênalti.

O Rio Claro, que havia reencontrado o caminho das vitórias nas últimas rodadas, teve sua reação freada nessa terça-feira e agora é o terceiro colocado do Grupo D, com oito pontos – o Palmeiras é o líder com 15. Neste sábado, pela próxima rodada, o Galo Azul joga novamente em casa, contra o XV de Piracicaba.

O Ituano, por sua vez, segue na lanterna do Grupo B, com seis pontos, empatado com o Corinthians, quarto colocado na chave. Na próxima rodada, já nesta sexta-feira, às 19h30 (de Brasília), o confronto será diante do Oeste, no Estádio dos Amaros.

O jogo - O pequeno público que compareceu ao Augusto Schmidt Filho na noite desta terça-feira se desanimou com o desempenho das duas equipes ainda no primeiro tempo. Em um gamado com condições questionáveis, Rio Claro e Ituano tiveram muitas dificuldades para chega com perigo ao gol adversário antes do intervalo, proporcionando uma partida longe de ter boa qualidade.

Na lanterna do Grupo B, o Ituano tentou surpreender já aos cinco minutos de jogo, a bola parada, e conseguiu balançar as redes, mas a arbitragem indicou posição irregular do ataque visitante. No cruzamento para a área, Dick conseguiu se antecipar aos zagueiros e desviar ao fundo das redes, mas estava impedido, como bem apontou o assistente Leonardo Schiavo Pedalini.

Se o torcedor se encheu de esperança após o lance e pensou que a partida seria mais animada, a postura dos dois times na sequência serviu para desapontar o público presente. Apesar do esforço dos jogadores de Rio Claro e Ituano, o nível técnico do confronto no interior paulista era ruim, faltava qualidade e criatividade para os dois ataques proporcionarem jogadas de perigo.

A melhor chance do Rio Claro ao longo do primeiro tempo saiu apenas aos 36 minutos, quando Carlinhos desceu pela direita com velocidade, fez o cruzamento na medida para Rodrigo Celeste, que se antecipou à marcação, desviou de cabeça, mas a bola passou à direita do goleiro Vagner. Era preciso melhorar bastante na volta do intervalo para conseguir movimentar o marcador.

A conversa nos vestiários parece ter sido boa para as duas equipes, que voltaram com um ímpeto mais ofensivo na segunda etapa. Desta forma, já aos 12 minutos, o Rio Claro quase marcou o primeiro. Carlinhos foi á linha de fundo, cruzou para trás e encontrou Robson na marca do pênalti. O atacante emendou o chute de primeira, a bola ganhou força, mas saiu à esquerdo do goleiro Vagner.

Depois de levar o susto, o Ituano resolveu surpreender e teve a chance de empatar em três ocasiões. Aos 13, Rafael Silva invadiu a área, mas foi barrado pelo goleiro Cleber. Três minutos depois, o atacante teve mais uma boa chance ao receber o cruzamento, desviou de cabeça, mas Calinhos salvou em cima da linha. Já aos 18, o arqueiro do Rio Claro rebateu para o meio da área, mas ninguém completou.

O gol do Ituano parecia questão de tempo e saiu na bola parada. Aos 29 minutos do segundo tempo, Anderson Sales teve uma falta para cobrar muito próximo da área, bateu de perna direita, tirou da barreira e acertou o ângulo do goleiro Cléber, que nada pôde fazer para evitar o golaço dos visitantes, que confirmavam mais uma vitória fora de Itu.

O lance, no entanto, deixou o final de jogo dramático e o Rio Claro passou a se lançar ao campo de ataque para buscar o empate. Depois de quase conseguir aos 39, com Robson, marcou de pênalti, já nos acréscimos da partida. Léo Costa cobrou com categoria, tirou do goleiro e deu números finais ao confronto: 1 a 1 no interior paulista.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade