Futebol/Campeonato Paulista - ( )

Saída de Jadson apressa trabalho de amadurecimento de Boschilia

Tossiro Neto São Paulo (SP)

Aos 17 anos, Gabriel Boschilia é atualmente a principal esperança das divisões de base do São Paulo. Não apenas por parte da diretoria, mas também de Muricy Ramalho, que, mesmo com a saída de Jadson para o Corinthians, não pedirá a contratação de outro meia por apostar no aproveitamento do garoto.

"Tenho esperança muito grande no Boschilia. É um articulador de movimentação. É o que o número 10 e o número 8 têm que ter hoje em dia, quando se joga com dois meias. Não dá para ter dois meias como o Ganso juntos", defende.

Boschilia foi um dos destaques brasileiros no Mundial sub-17 e, a exemplo do atacante Ewandro (outra promessa promovida ao profissional), já vinha sendo observado de perto por Muricy, em jogos-treino no CT da Barra Funda, antes de disputar a Copa São Paulo de Futebol Júnior deste ano.

Rubens Chiri/www.saopaulofc.net
Jovem e canhoto, meia é aposta de Muricy Ramalho
O objetivo é que, além de força física, os jovens ganhem também experiência e maturidade ao lado de jogadores consagrados como o goleiro Rogério Ceni e o atacante Luis Fabiano. Para isso, fazem treinos específicos de preparação com intuito de ganhar corpo e, aos poucos, são utilizados no Campeonato Paulista.

"É claro que o Boschilia é menino ainda, está em formação, mas acredito muito nesse garoto. Ele está treinando bem, também estamos fazendo trabalho de fortalecimento para adiantar o processo. Fiz isso no Santos, e deu certo. Você amadurece o jogador. Acredito muito nele pela movimentação, pela batida na bola. É aquele canhoto de que a gente gosta", elogia Muricy.

No esquema tático utilizado nos últimos jogos pelo treinador, o 4-2-3-1, Boschilia teoricamente concorre com Maicon por posição, mas, eventualmente, pode substituir Ganso como principal homem de armação do time titular.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade