Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Sem acordo em mediação, impasse no novo Palestra vai para arbitragem

William Correia São Paulo (SP)

A solução do impasse entre Palmeiras e WTorre sobre o reformado Palestra Itália terá que sair pelo caminho que ambos consideram o mais difícil. Não houve acordo na mediação entre clube e construtora e os detalhes conflitantes no contrato sobre o estádio terão que ser resolvidos na Câmara Fundação Getúlio Vargas de Conciliação e Arbitragem.

A mediação é considerada a forma mais amigável e as duas partes sempre demonstraram a intenção de evitar a arbitragem, que poderia ser prejudicial para ambos. Mas não houve acordo até a tarde desta quinta-feira e a sequência terá uma decisão definitiva e irrevogável.

O Palmeiras solicita a revisão de diversos pontos do contrato firmado em 2008. A maior contestação é em relação aos assentos. A WTorre diz ter direito de comercialização a todos no estádio, que passará a se chamar Allianz Parque após acordo com a seguradora alemã Allianz, enquanto o clube garante que só precisa ceder 10 mil cadeiras à construtora.

A WTorre anunciou que 82% da obra no estádio, interditado desde julho de 2010, já estão concluídas e estima a reinauguração para junho. O Palmeiras, contudo, se mostra menos otimista, já trabalha com a ideia de ter sua casa somente no ano que vem e até se discute no clube a possibilidade de processar a construtora por conta da demora.

Nesta quinta-feira, a WTorre divulgou vídeo que demonstra a evolução da reforma desde o seu começo, há quase quatro anos.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade