Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Sem jogar há 8 meses, sósia de Daniel Alves chega disposto a ser zagueiro

William Correia São Paulo (SP)

O último reforço confirmado pelo Palmeiras é lateral esquerdo, mas aceita ser zagueiro. Apresentado nesta terça-feira, Paulo Henrique se destaca por parecer com Daniel Alves, mas já avisou Gilson Kleina que também pode chamar atenção em campo atuando em um dos setores mais carentes do elenco.

“Nas categorias de base, cheguei a atuar uns três ou quatro anos como zagueiro. Tenho noção grande de posicionamento na zaga”, disse o novo camisa 31 do Verdão, escalado como profissional só no Santos e que chega disposto a jogar. “Eu não mudaria definitivamente de posição, vim para o Palmeiras como latera. Mas quero ajudar, independentemente de onde for.”

A zaga se tornou um problema ainda maior após Henrique ser vendido ao Napoli, da Itália. Como Tiago Alves se recupera de luxação no ombro direito, Victorino, que não joga desde setembro de 2012, segue sem condições de estrear e Thiago Martins operou o joelho direito, Kleina tem escalado Wellington ao lado de Lúcio e contando só com a improvisação do volante Marcelo Oliveira como opção.

Mas apenas fazer parte do elenco é uma alegria para Paulo Henrique, que completou 21 anos na última quinta-feira, dia seguinte à assinatura do contrato válido até 31 de dezembro com o Verdão. O jogador trocou o Santos, onde era admirado por Léo, pelo Rio Ave, de Portugal, e praticamente não atuou por lesão no joelho direito.

Divulgação
Lateral esquerdo se destacou na base do Santos (Crédito da foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação)
“Já saí do Santos lesionado, tentando me recuperar só com fortalecimento muscular e passei nos exames, mas, quando fui tirar ressonância, detectaram que era necessário operar. Estou sem jogar há mais ou menos oito meses, mas continuei trabalhando fisicamente, só folguei no Natal e no Ano Novo. Em no máximo uma semana posso ficar à disposição”, disse o lateral, que começou a treinar com bola nessa segunda-feira.

Agora, no Palmeiras, ele tem a chance de provar ser mais do que um sósia de Daniel Alves. “É um prazer enorme ser chamado pelo nome de um cara consagrado e vitorioso como ele. Quero muito mais ser lembrado não só pela aparência física, mas como atleta porque é um profissional excelente. Vou lutar muito para parecer com ele jogando”, comentou o reforço.

Do mesmo empresário de Bruno César, contratação mais complicada do clube no ano, Paulo Henrique não esconde a alegria pela chance no Verdão. “É um desafio e um recomeço, estou muito feliz e honrado por vestir a camisa do Palmeiras. É uma benção maravilhosa essa oportunidade em um time dessa grandeza. Fui muito bem acolhido por um grupo que te dá liberdade para se soltar e não se acanhar. Vou fazer esse contrato de período curto ficar longo com esforço e dedicação”, prometeu.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade