Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

"Trabalhador": contra críticas, Pato usa lema predileto de Muricy

Tossiro Neto São Paulo (SP)

À la Muricy Ramalho, Alexandre Pato disse mais de uma vez nesta terça-feira, ao longo dos pouco mais de trinta minutos de sua apresentação oficial como jogador do São Paulo, que preza pelo trabalho. Um expediente treinado para se defender das críticas sobre sua passagem sem muita relevância pelo Corinthians, do qual saiu emprestado até o final de 2015.

"A maioria das pessoas pensa algumas coisas a meu respeito, mas sou muito trabalhador", respondeu, na primeira pergunta mais incisiva. "No ano passado inteiro, sempre fui o primeiro a chegar e o último a sair. Sempre entro em campo para dar meu melhor, trabalho muito. Acho que a maioria não viu aquilo que fiz pelo meu ex-clube".

O que Pato fez - de positivo - foi balançar a rede 17 vezes. Mas os gols e os dois títulos ganhos (Campeonato Paulista e Recopa Sul-americana) não bastaram para conquistar a torcida corintiana, que passou a persegui-lo principalmente depois do pênalti displicentemente desperdiçado nas quartas de final da Copa do Brasil, diante do Grêmio. O erro tirou a equipe do torneio de forma precoce.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Alexandre Pato deverá fazer sua estreia pelo Tricolor diante do CSA, no dia 12 de março
Além do lema predileto de seu novo treinador, Pato também foi repetitivo ao lembrar passagem de sua infância, quando deixou a cidade natal (a paranaense Pato Branco, onde também nasceu o goleiro Rogério Ceni) convicto, ao contrário da própria mãe, de que fazia a escolha certa ao aceitar convite para treinar nas categorias de base do Internacional.

"Saí muito cedo de casa, com 11 anos, e aprendi muitas coisas. Deixei minha mãe chorando na rodoviária, me perguntando mil vezes se eu queria ir embora. Aprendi muito, sei aquilo que eu sinto. Tenho sentimento. Na vitória, sou o cara mais feliz do mundo. Na derrota, eu me sinto um nada", contou.

"Muitas pessoas que não conhecem falam coisas de mim. Eu trabalho muito. Gosto de chegar cedo ao trabalho e fazer as coisas de que preciso. Gosto de ficar até o final e sou o último a sair do campo. Trabalho muito. Até mesmo em casa, eu procuro me recuperar ao máximo para chegar bem fisicamente no dia seguinte", continuou o reforço são-paulino.

O lema predileto de Muricy Ramalho servirá para Pato ao menos até 12 de março, dia para o qual está programada sua estreia, diante do CSA, em Maceió, pela Copa do Brasil. O atacante não pode atuar mais na atual edição da competição estadual por ter excedido o limite de jogos para defender outra equipe.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade