Futebol/Campeonato Paulista - ( )

Valdivia pede discursos de paz para evitar "tormenta" na torcida no Derby

São Paulo (SP)

Membro do clube visitante no clássico de domingo, Valdivia inicia um pedido para que tantos seus colegas no Palmeiras quanto os jogadores do Corinthians não acirrem os ânimos da torcida no Derby. Após a invasão de organizadas no CT alvinegro, existe apreensão para o que pode ocorrer no Pacaembu.

“Quem tem que dar essa segurança para o torcedor tem que se manifestar, e quem tem que dar segurança é a polícia, mas, se os jogadores criarem uma tormenta para esse jogo, a tormenta vai vir”, avisou o chileno, alvo de críticas tanto de torcedores palmeirenses quanto de corintianos.

A ideia é que a rivalidade, realmente, só ocorra dentro de campo. Além de brigas entre torcedores, recentes encontros dos dois clubes também geraram danos ao Pacaembu, como no Brasileiro de 2012, quando palmeirenses atiraram cadeiras no gramado e tentaram invadir os camarotes do então presidente Arnaldo Tirone durante a derrota do time por 2 a 0.

“Temos que pedir para que torcedores de Palmeiras e Corinthians lotem o Pacaembu e apenas torçam, apoiem seu time e nós, nos dedicarmos dentro de campo. Vamos tentar fazer um futebol melhor, sem violência”, solicitou Valdivia, que não estava presente no Derby da confusão em 2012.

A maior preocupação, porém, é que a Polícia Militar evite qualquer perigo. “Vamos fazer o clássico para demonstrar futebol e não pensar nisso. Vamos dar autoridade aos responsáveis por cuidar disso. É inadmissível, mas, infelizmente, temos que conviver com isso. Espero que as autoridades comecem a tomar as decisões que devem ser tomadas, principalmente por ser um esporte que representa a paixão do brasileiro”, declarou o técnico Gilson Kleina.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Chileno pede que seus colegas e os jogadores do Corinthians não acirrem os ânimos nas arquibancadas

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade