Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Valdivia se cuida para estar 200% na Copa e ter carreira mais longa

William Correia São Paulo (SP)

Há um ano, Valdivia dizia que seu objetivo em 2013 era jogar por ele e pela seleção. Mas foi o planejamento da comissão técnica do Palmeiras, poupando-o até de treinos no campo, que diminuiu suas lesões. E é nele que o jogador mais caro do clube se apoia para adiar sua aposentadoria e atingir mais do que seu auge físico para estar em condições de disputar a Copa do Mundo.

“Quero e tenho certeza de que só depende de mim, de como me sinto no momento, da evolução que posso ter até a Copa do Mundo”, comentou. “Para disputar a Copa do Mundo, você tem que estar 200%. O nível de disputa da nossa seleção é muito grande, a intensidade dos treinos é muito grande. Tenho que estar preparado.”

A declaração do meia mostra que ele entendeu o claro recado dado por Jorge Sampaoli. Em novembro, o treinador da seleção chilena, logo após ver Valdivia se machucar em treino e enfrentar o Brasil “no sacrifício”, avisou que o jogador não tinha nenhuma condição física de estar no Mundial naquele momento.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Meia é poupado dos treinos em campo desde o ano passado para reforçar condição física
O camisa 10 nem procurou o técnico para falar sobre o assunto. “Não conversei com o Sampaoli. O treinador fala o que acha certo e só tenho que ouvir e tentar melhorar. Eu seria muito carudo se discordasse do que ele fala porque foi um dos caras que mais me apoiaram e me passaram confiança quando eu estava fora da seleção.”

O que Valdivia tem feito é trabalho físico, contando até com um preparador particular. “Gostaria de falar como um dos convocados para a Copa, mas ainda não tem nada definido. Estou treinando e quero melhorar para realizar meu sonho de disputar a Copa aqui, e esse sonho ninguém tira de mim. Espero que se torne realidade”, falou.

O Palmeiras também tem sido fundamental. Gilson Kleina não hesita em escolher os jogos em que terá o meia. Assim, suas passagens pelo departamento médico ficaram mais raras. “Estou trabalhando e me cuidando para ter uma carreira mais longa, sem tantas lesões”, afirmou. “A minha preparação parte de mim. O que me tornar melhor, como resultado, vai refletir no Palmeiras e na Seleção”, prosseguiu Valdivia.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade