Atletismo/Mundial Indoor - ( - Atualizado )

‘Duda’ pela avó, brasileiro se firma como esperança para o Rio-2016

Sopot (Polônia)

Nascido em Presidente Prudente, no interior de São Paulo, Mauro Vinícius da Silva não demorou a seguir o destino de outros grandes esportistas brasileiros, ganhando um apelido para abreviar o seu nome. Desta forma, sua avó, dona Iracema, foi a responsável por criar o “Duda”, modo como ficou conhecido mais tarde.

Entre os atletas mais promissores do país, Duda começou sua carreira no salto em distância bem cedo. Aos 17 anos, já iniciou seus treinamentos, sendo que, aos 22, já disputava os Jogos Olímpicos, em Pequim. Ainda iniciante, o brasileiro cravou a distância de 7,75m nas eliminatórias, ficou com o 26º lugar e não chegou à final.

O resultado, no entanto, não foi motivo de desânimo. Ao lado de seu treinador Tide Junqueira, o atleta seguiu com os treinamentos em São José do Rio Preto, também no interior de São Paulo, e assim surpreendeu o mundo em 2012, no Mundial de Indoor de Atletismo, disputado em Istambul, na Turquia.

Sem estar cotado entre os favoritos, o brasileiro já teve um ótimo desempenho nas eliminatórias, quando fez a sua melhor marca, com um salto de 8,28. Já nas finais, Duda atingiu 8,23, um resultado menos expressivo, mas ainda assim suficiente para conquistar sua primeira medalha de ouro no Mundial Indoor de Atletismo.

O resultado no mês de março de 2012 fez com que o brasileiro fosse apontado como um dos favoritos da delegação verde e amarela a subir ao pódio nos Jogos Olímpicos de Londres. O desempenho de Duda, no entanto, não foi tão expressivo, ficando com o sétimo lugar, após um salto de 8,01m.

AFP
Com o bicampeonato conquistado neste sábado, Duda Silva é esperança de medalhas nos Jogos Olímpicos do Rio
A decepção não abateu o atleta, que conseguiu se recuperar já no ano seguinte, quando conquistou sua melhor marca pessoal. Em fase de preparação para o Mundial Outdoor de Atletismo, em Moscou, Duda participou do Troféu Brasil, em São Paulo, e alcançou um salto de 8,31m, garantindo o índice para a competição russa.

Desta forma, o brasileiro estava novamente cotado entre os favoritos de uma competição internacional, porém deixou a desejar. No Estádio Louzhniki, o atleta paulista chegou à final, saltou 8,24m e ficou apenas a três centímetros do pódio, ‘amargando’ a terceira colocação no Mundial em Moscou.

Os dois tropeços serviram de incentivo para que Duda Silva lutasse pelo bicampeonato mundial Indoor em 2014. Para atingir um melhor desempenho, atleta deixou São José do Rio Preto, ficou longe da família e passou a treinar em São Paulo, a convite da Confederação Brasileira de Atletismo.

A mudança deu resultado, apesar das dificuldades encontradas até a chegada ao lugar mais alto do pódio. O início de competição em Sopot, na Polônia, não foi tão promissor. Nas eliminatórias, o brasileiro chegou pressionado ao terceiro salto, mas atingiu a marca para chegar à decisão.

Era preciso, portanto, espantar a desconfiança nas finais deste sábado, e o brasileiro, que pouco se importou com a pressão, e foi buscar sua redenção no último salto. Como em 2012, o paulista voou em Sopot, na Polônia, e atingiu 8,28, garantindo a medalha de ouro.

Agora, com a consagração deste sábado, Duda da Silva se firma como uma das principais esperanças de medalha para a delegação brasileira nos Jogos Olímpicos de 2016. Após dois títulos em terras europeias, o paulista terá a chance de subir ao lugar mais alto do pódio sob os olhares de família e amigos.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade