Atletismo/Mundial Indoor - ( - Atualizado )

Duda vai bem na última tentativa e conquista bicampeonato mundial

Sopot (Polônia)

Campeão mundial indoor de salto em distância em Istambul, na Turquia, em 2012, Mauro Vinícius da Silva, o Duda, confirmou o favoritismo e conquistou o bicampeonato, neste sábado, em Sopot, na Polônia. O brasileiro conquistou o ouro com a marca de 8,28m, alcançado em seu último salto.

A medalha de prata ficou com o chinês Jinzhe Li, que liderou durante toda a prova e garantiu o segundo posto com 8,23m, enquanto o sueco Michel Tornéus faturou o bronze, com 8,21m.

No primeiro salto, Duda cravou 8,06m e encerrou a primeira rodada na segunda colocação. Apesar da boa posição, sua marca ainda era bem inferior em relação a de Li Jinzhe, que conseguiu 8,19m logo em sua primeira tentativa. Na sequência, o brasileiro seguiu sem melhorar sua marcar ao saltar 7,94m na segunda rodada e queimar na terceira.

Na quarta tentativa, o saltador fez 8,04m e viu suas chances de medalhas diminuírem após novamente queimar o quinto salto, o que o garantia no quinto posto na classificação geral. Com apenas um salto restante, Duda conseguiu fazer um bom uso da tábua e cravou 8,28m.

AFP
Duda garantiu o bi com o salto de 8,28m, mesma marca alcançada na eliminatória do Mundial de 2012

Com o salto que garantiu a medalha de ouro em Sopot, Duda igualou a marca que rendeu a ele a classficação para a final, em 2012. Na decisão, ele saltou 8,23m. Já a melhor marca do atleta foi 8,31m, cravada em junho de 2013, em São Paulo.

Emocionado após a conquista, o saltador comemorou ter igualado o resultado de Istambul e ressaltou o trabalho que rendeu a ele o bicampeonato.

“Às vezes, nós atletas temos a mania de dizer que não cai a ficha. Eu não posso falar isso porque me tornei bicampeão. Só tenho que agradecer a todos que me apoiram. Desculpem a todos pelos palavrões”, brincou o brasileiro, em entrevista ao SporTV.

“Eu poderia falar mil coisas, mas Deus sempre é justo. Tive problemas com lesões. Trabalhei em excesso e as lesões vieram, mas não existem campeões sem treinos e dedicação. Na hora da competição, a gente tem que ter muita calma porque sem ela vem lesões, erros e muitas outras coisas, menos o resultado. Então eu tinha que, pelo menos, igualar o meu melhor. E eu consegui. Hoje sou a pessoa mais feliz do mundo porque consegui igualar minha marca de Istambul”, concluiu o bicampeão mundial indoor de salto em distância.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade