Atletismo/Bastidores - ( - Atualizado )

Testemunha diz que Pistorius tentou salvar namorada após disparos

Pretória (África do Sul)

No quarto dia de julgamento de Oscar Pistorius, em Pretória, na África do Sul, uma testemunha deu um depoimento apoiando a versão do atleta de que os disparos que mataram a modelo Reeva Steenkamp foram feitos por engano.

De acordo com o médico Johan Stipp, vizinho de Pistorius, que chegou a casa após escutar os tiros, o campeão paralímpico estava tentando reanimar a namorada quando ele chegou ao local, mas ela já não apresentava mais sinais de vida.

"Eu disparei. Pensei que fosse um ladrão", contou Stipp, reproduzindo a fala do velocista. “Oscar chorava o tempo todo e pedia para Deus deixá-la viver", completou.

Um pouco mais cedo, Barry Roux, advogado de Pistorius acusou uma das testemunhas de alterar o depoimento para incriminar seu cliente. Para Roux, um dos vizinhos do atleta passou a afirmar que também ouviu gritos antes dos disparos para entrar em acordo com a esposa, que deu seu depoimento antes.

Enquanto o sul-africano e sua defesa alegam que os tiros que mataram Reeva foram disparados após o atleta achar que sua casa estava sendo invadida por um ladrão, a promotoria o acusa de premeditar o crime e ter assassinado a modelo após uma discussão entre os dois.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade