Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Melhor do mundo em 1999, Rivaldo anuncia aposentadoria aos 41 anos

Mogi Mirim (SP)

Melhor jogador do mundo em 1999 e pentacampeão mundial com a Seleção Brasileira três anos depois, Rivaldo anunciou sua aposentadoria na manhã deste sábado, quando escreveu uma carta aberta. O agora ex-jogador, que tem 41 anos, vinha atuando pelo Mogi Mirim, clube que também preside.

Revelado pelo Santa Cruz no começo da década de 1990, Rivaldo começou a se destacar no próprio Mogi, em 1992, quando fez parte do “Carrossel Caipira”. Natural de Paulista (PE), o meia passou pelos arquirrivais Corinthians e Palmeiras antes de se aventurar na Euopa.

Reprodução/Instagram
Lenda do futebol nacional e internacional, Rivaldo anunciou aposentadoria neste sábado
No Velho Continente, Rivaldo chegou ao Barcelona, onde foi eleito o melhor jogador do mundo em 1999. Três anos depois, ele foi um dos destaques do time nacional que conquistou a Copa do Mundo, realizada na Coréia do Sul e no Japão.

Após defender o Milan, Rivaldo voltou ao Brasil para ser anunciado pelo Cruzeiro. No entanto, já sem o mesmo brilho de antes. Depois de se arriscar no futebol da Grécia e do Uzbequistão, o armador se vestiu de são-paulino em 2011.

Irregularidades e polêmicas encurtaram seu ciclo no Morumbi, e, um ano depois, o atleta resolveu ir para Angola, onde defendeu o Kabuscorp. Desafeto do técnico do time angolano, Rivaldo retornou ao País para passar pelo São Caetano e, depois, Mogi Mirim.

Em 2014, o pentacampeão realizou um dos seus sonhos: o de jogar ao lado do seu filho, Rivaldinho, no Mogi. No último domingo, contra o São Bernardo, o presidente do clube interior completou a marca de 900 jogos na carreira, o ponto final de sua grande história.

Já na manhã deste sábado, Rivaldo reuniu todos do Mogi Mirim e comunicou sua aposentadoria dos gramados. Visivelmente emocionado, o pernambucano publicou uma carta e imagens nas redes sociais. Leia, na íntegra, a mensagem do pentacampeão:

"Com lágrimas nos olhos hoje gostaria de primeiramente agradecer a Deus, minha família e a todos pelo apoio, pelo carinho que recebi durante esses 24 anos como jogador. Hoje venho comunicar a todos os torcedores do mundo que minha história como jogador chegou ao fim.

Somente tenho que agradecer pela linda carreira que construí durante esses anos. Foram muitos os obstáculos, os desafios, renúncias, saudades, decepções, porém foram muito maiores as alegrias, as conquistas, crescimentos, mudanças. Algumas vezes ensinando outras aprendendo, mas nunca perdi meu foco, sempre com dedicação, determinação e direção de Deus.

Nesta longa jornada, muitas pessoas passaram pela minha vida, alguns por um período, outros amigos que permanecem até hoje. Construí minha carreira em cima de um milagre, saindo de Paulista (Pernambuco), sem nenhum recurso financeiro, sem empresário, incentivos apenas familiar, desacreditado por médicos e técnicos, vi um sonho distante se tornar realidade. Com persistência, dedicação e principalmente com a mão de Deus, cheguei a ser reconhecido como melhor jogador do mundo, pentacampeão mundial, entre muitos outros títulos importantes na história do futebol.

Entre troféus, medalhas, premiações e títulos, em uma terra onde tudo se consome, deixo aqui uma história, talvez um exemplo, mas com certeza um testemunho de que vale a pena crer e lutar.

'Todo atleta que está treinando aguenta exercícios duros porque quer receber uma coroa de folhas de louro, uma coroa que, aliás, não dura muito. Mas nós queremos receber uma coroa que dura para sempre". 1 Corintios 9:25'"

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade