Futebol/Copa do Brasil - ( - Atualizado )

Apagão no Canindé adia partida entre Portuguesa e Bragantino para 4ª

São Paulo (SP)

A 13ª rodada do Campeonato Paulista era seria encerrada nesta terça-feira. Porém, um apagão no Canindé adiou o embate entre Portuguesa e Bragantino, que fora iniciado às 19h30 (de Brasília). As equipes chegaram a disputar o primeiro tempo, que terminou com vantagem rubro-verde, pelo placar de 1 a 0. O centroavante Caio Mancha, com um belo gol de perna direita, inaugurou o marcador em solo paulistano, aos 25 minutos. Assim, a etapa complementar do embate será disputado nesta quarta-feira, às 15 horas (de Brasília).

Os atletas de Portuguesa e Bragantino estavam nos vestiários quando a luz acabou, devido à forte chuva. A queda de energia afetou todas imediações do Canindé, que não possui geradores. Neste contexto, o árbitro da partida, Leandro Bizzio Marinho, esperou inicialmente durante uma hora. Como o problema não se resolveu, o juiz conversou com as diretorias adversárias, que concordaram em aguardar mais meia-hora.

Todavia, uma hora e meia não foi suficiente para que a luz voltasse. O atraso de mais vinte minutos além da concordata fez com que as diretorias mudassem seu posicionamento. Marquinhos Chedid, presidente do Bragantino, ressaltou a necessidade do adiamento: “Estamos com uma hora e 50 minutos de interrupção. Os jogadores se alimentaram às 16h30. Temos que tomar cuidado com a condição do atleta. Isso inviabiliza a partida. Ficaram muito tempo no vestiário. Nós jogamos amanhã, não tem problema. Claro que isso nos acarreta um prejuízo, por causa do hotel, mas o lado humano vem em primeiro lugar”, sintetizou.

Quando a espera excedeu as duas horas, o árbitro Leandro Bizzio Marinho deu o veredicto: “Fizemos de tudo, mas não foi possível. Aguardamos, mas não tivemos êxito. Assim, amanhã, às 15 horas (de Brasília), teremos o segundo tempo”, finalizou.

O primeiro tempo – Mesmo atuando no Canindé, a primeira chance da partida foi do Bragantino. Em boa jogada de Magno Cruz, Léo Jaime recebeu na área e finalizou firme, mas parou em defesa providencial de Glédson, que usou os pés para evitar o tento visitante. A resposta veio cinco minutos mais tarde, em cobrança de falta de Rondinelly, que passou rente ao travessão de Rafael Defendi.

Com 19 jogados, Glédson voltou a ser exigido, mas conseguiu espalmar uma conclusão forte do meia Gustavo, em contragolpe arquitetado por Magno Cruz. Porém, com 25, a Portuguesa inaugurou o marcador, em grande estilo. Sem deixar a bola cair, Caio Mancha dominou uma cobrança lateral de Bryan, triangulou com Leandro Banana usando a cabeça e finalizou firme, de perna direita, estufando as redes de Rafael Defendi.

No final da primeira etapa, por pouco, o Bragantino não empatou a partida com um belo gol. Após bola alçada na área por Geandro, Coutinho afastou mal e viu o zagueiro André Astorga, de bicicleta, mandar a bola à esquerda da meta rubro-verde.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade