Futebol/Campeonato Gaúcho - ( - Atualizado )

Árbitro lamenta “brutalidade” de racismo; Esportivo é denunciado

Bento Gonçalves (RS)

Responsável pela arbitragem do confronto entre Esportivo e Veranópolis, nesta quarta-feira, pelo Campeonato Gaúcho, o árbitro Márcio Chagas da Silva sofreu graves insultos racistas após a partida disputada no Estádio Montanha dos Vinhedos, em Bento Gonçalves. E, em entrevista ao canal SporTV, nesta sexta-feira, o profissional não poupou criticas aos agressores e pediu mudanças no cenário do futebol brasileiro.

“Não deveríamos achar normal, mas essas coisas acontecem constantemente em nosso Estado, principalmente na região da Serra. Após sair do jogo, eu encontrei meu carro e percebi que ele havia sido amassado com pontapés na porta. Havia algumas bananas ao seu redor e duas delas caíram quando eu fui dar partida”, afirmou o árbitro, que chorou durante a entrevista.

No confronto desta quarta-feira, Márcio Chagas da Silva teve arbitragem discreta e não protagonizou nenhuma grande polêmica ao longo do jogo. A equipe da casa conseguiu importante vitória por 3 a 2, com dois gols de Reinado já no final da partida. O resultado, entretanto, não impediu os insultos racistas ao profissional.

“Assim que eu me deparei com meu carro, achei uma atitude de brutalidade tremenda. Depois ainda comentei com meus colegas que a partida não teve nenhum lance duvidoso. Imagina se eu tivesse me equivocado em alguma decisão que influenciasse no resultado final. Fiquei muito indignado e bravo, pois tenho muito respeito pelas pessoas, independente da cor da pele”, completou.

Também em entrevista ao SporTV, o procurador do Tribunal de Justiça Desportiva do Rio Grande do Sul (TJD-RS), Alberto Franco, confirmou que o Esportivo pode ser punido pelos insultos de seus torcedores ao árbitro. O clube da Serra Gaúcha foi denunciado no Artigo 243-G, que fala em “praticar ato discriminatório, desdenhoso ou ultrajante,relacionado a preconceito em razão de origem étnica, raça, sexo, cor, idade, condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência”.

“Gostaria de parabenizar o Márcio pela coragem de expor essa situação e garantir que ele pode contar comigo. Já estamos com a súmula e oferecemos a denuncia. Propomos o artigo 243-G, que envolve insultos racistas. O julgamento deve ocorrer na próxima quinta-feira”, encerrou o promotor, citando o artigo que pode resultar em perda de três pontos e multa que varia entre R$ 100 e R$ 100 mil ao Esportivo. Além disso, os torcedores identificados ficariam dois anos sem poder ir ao estádio,.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade