Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Bellini recebe últimas homenagens em salão nobre do Morumbi

Luiz Ricardo Fini São Paulo (SP)

O corpo do ex-jogador Bellini foi velado nesta sexta-feira no salão nobre do estádio do Morumbi. Com as presenças de familiares, ex-jogadores e dirigentes de futebol, o capitão do primeiro título mundial da Seleção Brasileira recebeu as últimas homenagens.

“É difícil dizer todas as qualidades deles, mas era uma pessoa ética ao extremo e com muito respeito, com carinho. Era uma pessoa também que merece ser lembrada pela humildade”, declarou Giselda Bellini, viúva do ex-zagueiro.

O ex-jogador morreu no fim da tarde de quinta-feira, aos 83 anos, na capital paulista, depois de ter lutado por quase duas décadas contra o Mal de Alzheimer. Lembrado por sua passagem vitoriosa pelo São Paulo, o ex-zagueiro recebeu como homenagem do clube o direito de ser velado no Morumbi.

Rubens Chiri/Site Oficial SPFC
Juvenal Juvêncio e a vice-prefeita Nadia Campeão estiveram no velório no salão nobre
Sobre o corpo do eterno capitão, estava a bandeira do time. O presidente do Tricolor, Juvenal Juvêncio, marcou presença na cerimônia, assim como o diretor de futebol Rubens Moreno, o conselheiro Marco Aurélio Cunha e os dois candidatos à presidência: o da situação, Carlos Miguel Aidar, e da oposição, Kalil Rocha Abdalla. A vice-prefeita de São Paulo, Nádia Campeão, representou as autoridades da capital.

O senador Eduardo Suplicy também compareceu. Companheiros da época do futebol, os ex-jogadores Dorval e Dino Sani aumentaram a lista. “Sempre tive um contato de amigo com o Bellini, que era brincalhão. Mas, em campo, não tinha brincadeira com ele. E sempre foi um líder nato. Nem preciso dizer isso, porque a presença dele já fazia isso ser percebido”, declarou Sani.

A Confederação Brasileira de Futebol, com o nome do presidente José Maria Marin, e a Federação Paulista de Futebol enviaram coroas de flores. O mandatário são-paulino, Juvenal Juvêncio, também declarou que pretender prestar mais homenagens ao ex-atleta.

O corpo do eterno capitão ficou no salão nobre do estádio até 15h15 (de Brasília) desta sexta-feira, quando foi levado para Itapira. Na cidade do interior paulista em que nasceu, Bellini será enterrado.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade