Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Condenado por evasão fiscal, presidente do Bayern renuncia ao cargo

Munique (Alemanha)

Condenado a três anos e meio por evasão fiscal, o presidente do Bayern de Munique, Uli Hoeness, renunciou ao cargo na manhã desta sexta-feira. O agora ex-mandatário do clube alemão escreveu uma carta aberta, publicada no site oficial, explicando sua decisão.

“Tenho a honra de renunciar aos cargos de presidente do Bayern de Munique e de presidente do Conselho de Supervisão do clube, com efeito imediato. Ao fazer isso, gostaria de evitar mais danos ao meu clube. O Bayern é o trabalho da minha vida, e sempre será”, escreveu Hoeness.

AFP
Presidente do Bayern renunciou ao cargo para não denegrir imagem do clube (foto: SVEN HOPPE)
Após desviar quase 30 milhões de euros (R$ 98,4 milhões, no câmbio atual), Hoeness, que admitiu a fraude fiscal, foi punido pelo Tribunal Distrital de Munique. De acordo com o empresário, ele não recorrerá da decisão, aceitando a prisão de três anos e meio.

“Depois de discutir com minha família, decidi aceitar a decisão. Instruí meus representantes a não apelarem contra o veredicto, representando minha compreensão de integridade, decência e responsabilidade social. Sonegar impostos foi o maior erro da minha vida, e aceito as consequências”, disse.

De acordo com uma autoridade local, Hoeness poderá cumprir até 21 meses caso apresente bom comportamento – a prisão de Landsberg, a 70 quilômetros de Munique, é o provável destino. No entanto, ele deverá ser tratado como todos os outros presos do local.

Autoridade penitenciária no País, Anton Bachl confirmou a ausência de regalias. “Na prisão, não há bônus para celebridades; Também é possível que o senhor Hoeness tenha que conviver com criminosos violentos na mesma cela”, explicou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade