Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Contra armadilhas do Bragantino, Kleina veta lentidão e faltas na defesa

William Correia São Paulo (SP)

Gilson Kleina não deu pistas sobre a escalação que colocará em campo contra o Bragantino, mas deixou claras as características que vai exigir do Palmeiras no jogo eliminatório das quartas de final do Campeonato Paulista, nesta quinta-feira. Em treino secreto, o técnico preparou o time para tocar a bola rapidamente, se mexer e se preocupar em não cometer faltas perto da área de Fernando Prass.

“O Bragantino tem fundamentos fortes e precisamos da privacidade para os jogadores entenderem a nossa estratégia e estarmos muito atentos. É decisão”, afirmou o treinador depois de atividade tática de uma hora e meia na qual não permitiu a presença de jornalistas na Academia de Futebol, nesta quarta-feira.

“O Bragantino tem a bola parada como ponto forte e vai jogar no contra-ataque, com jogadores rápidos. Marca muito forte e tem jogadores altos, mas temos que tomar cuidado com quem prepara as bolas e sofre as faltas que eles batem. Precisamos ser competentes, encaixar a marcação em quem abastece no Bragantino e evitar faltas perigosas. O momento pede isso”, indicou.

Na escalação, Kleina não anunciou se adotará um esquema com dois meias ou três atacantes, mas não é na dúvida que ele aposta para surpreender o adversário. O técnico sabe que o rival se adaptará ao posicionamento do Verdão. Por isso, cobra que seus jogadores se mexam.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Técnico cobrou um Palmeiras paciente, mas não indolente ou moroso no jogo eliminatório das quartas de final
“Se jogarmos com três atacantes ou dois meias, eles mexerão no posicionamento de um volante para encaixar a marcação. O que vai importar é movimentação, posicionamento, saída de bola, marcação. Precisamos entender que, ao mesmo tempo em que precisamos nos organizar para atacar, também precisamos nos organizar para defender”, ensinou.

“O Bragantino vai esperar nosso erro. Mas, se tivermos lentidão, com dificuldade na saída de bola, podem adiantar a marcação e nos complicar. Vamos trabalhar a posse de bola com atenção pelos lados e tranquilidade. Paciência é fundamental, mas não pode ser confundida com indolência e marasmo. Precisamos de rotatividade forte, mas com muita marcação”, continuou o treinador, que preparou também jogadas ensaiadas para definir o jogo.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade