Futebol/Campeonato Mineiro - ( )

Debaixo de chuva, Cruzeiro aplica goleada no Minas Boca no Mineirão

Belo Horizonte (MG)

O Cruzeiro deu um importante passo para confirmar matematicamente a passagem para as semifinais do Campeonato Mineiro. Atuando no Mineirão, a Raposa superou o Minas Boca por 4 a 0, e chegou aos 20 pontos na liderança isolada do Estadual. A maior dificuldade dos celestes no jogo deste sábado não foi o adversário, mas sim a chuva e o gramado pesado do Gigante da Pampulha.

Choveu durante todo o dia em BH, e a drenagem do Mineirão não suportou a quantidade de água. Com isso, o futebol técnico do Cruzeiro não foi dos melhores, mas o suficiente para vencer com gols de Bruno Rodrigo, Everton Ribeiro e Dagoberto - que marcou duas vezes, uma delas em cobrança de pênalti.

Na sequência do Campeonato Mineiro, o Cruzeiro terá compromisso na próxima quarta-feira, enfrentando o Nacional, em Muriaé. Para este jogo, a Raposa deverá ter um time reserva. Já o Minas Boca vai até Nova Lima para medir forças contra o Villa Nova, no Castor Cifuentes.

O jogo – Campo pesado e várias poças de água no Mineirão prejudicaram um pouco o futebol do Cruzeiro, mas mesmo com as dificuldades extras, a Raposa conseguiu controlar bem o duelo contra o Minas Boca, criando várias oportunidade de gol durante os 90 minutos. Logo aos dois minutos, Dedé perdeu boa chance de abrir o marcador, concluindo sobre o travessão.

Aos poucos, a Raposa passou a explorar mais a faixa direita do gramado do Mineirão, que concentrava a menor quantidade de água. Por este lado, Dagoberto tentou um tiro cruzado que passou muito perto da trave de Cristiano. Como a chuva não parou durante o jogo, a drenagem do Gigante da Pampulha não deu conta e colaborou para o excesso de erros de passe do time do Cruzeiro, fato pouco comum na era Marcelo Oliveira.

O treinador celeste demonstrou impaciência com a equipe em vários momentos, entendendo que o desempenho do time estava muito abaixo do esperado. Mesmo sem apresentar um futebol brilhante, o torcedor que encarou a chuva no Mineirão viu uma partida de ataque contra defesa, com os visitantes agredindo somente em jogadas esporádicas sem muito perigo.

Aos 26, o time da capital encaixou uma boa trama ofensiva que terminou com finalização de Marcelo Moreno, que explodiu no rosto de Ricardo Goulart e quase foi parar nas redes do Minas Boca. A melhor chance do time de Sete Lagoas no jogo saiu dos pés do zagueiro Micão, que apareceu como elemento surpresa e mandou um petardo em direção ao gol. Bruno Rodrigo salvou quase em cima da linha, com Fábio já batido no lance.

O defensor celeste salvou a Raposa e resolveu ir para o ataque para ensinar aos atacantes como se faz. Aos 33, Dagoberto cobrou falta pela direita e achou a cabeça de Bruno Rodrigo, que desviou para as redes de Cristiano, abrindo os trabalhos e levando os torcedores cruzeirenses à loucura nas cadeiras do Mineirão.

O segundo gol celeste não demorou muito a sair, e veio dos pés de Dagoberto, que fez jogada individual pela direita e fuzilou a meta dos visitantes.

No começo da etapa final, a vida do Cruzeiro ficou ainda mais fácil, quando Nilton foi segurado dentro da área, o árbitro Gabriel Murta Barbosa Maciel viu o pênalti no lance. Dagoberto foi para a cobrança e deslocou o goleiro para fazer 3 a 0.

Dominando inteiramente as ações, o Cruzeiro quase marcou o quarto gol com Everton Ribeiro, que, aos 18, entrou livre na área do Minas Boca e acertou a trave do goleiro Cristiano. Aos 25, Everton Ribeiro iniciou a jogada que terminaria com cruzamento de Egídio e cabeçada certeira do melhor jogador do último Campeonato Brasileiro para transformar o placar em goleada no Mineirão.

Sem esboçar qualquer tipo de reação, o time de Sete Lagoas em nenhum momento tentou ameaçar Fábio. Com isso, mesmo sem imprimir o ritmo habitual, o Cruzeiro seguiu agredindo em busca de mais gols com enorme tranquilidade até o apito final.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade