Futebol/Campeonato Paulista - ( )

Diretoria do Corinthians exime Mano de culpa e promete buscar reforços

Vítor Dalseno, especial para a GE.Net São Paulo (SP)

A eliminação do Corinthians logo na primeira fase do Campeonato Paulista não pode ser considerada um fracasso do técnico Mano Menezes. Esta é a opinião do gerente de futebol do clube, Edu Gaspar, que, nesta segunda-feira, preferiu avaliar o insucesso de uma maneira “mais técnica”.

“Tivemos uma mudança de comando, e vocês acompanharam muito bem as mudanças que foram feitas. Muitos atletas novos entraram, e começamos a atuar de uma maneira diferente. Estamos com três no meio de campo e uma linha de quatro (na defesa) diferente da que tínhamos. Essas mudanças exigem um tempo de trabalho”, disse.

O dirigente afirmou que o Corinthians está “pagando um preço alto” por causa das alterações motivadas pela troca no comando técnico, mas demonstrou confiança no trabalho de Mano.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Nas 14 partidas em que comandou o Corinthians neste ano, Mano acumula seis vitórias, cinco empates e três derrotas
“O treinador precisa de tempo para trabalhar e os atletas precisam de tempo para fazer uma avaliação. Já estamos visualizando que o trabalho começa a ser bem aceito. No começo, ainda tinha a dúvida de alguns atletas (em relação às mudanças promovidas por Mano), por virem de um trabalho de três anos. Isso fez com que o trabalho demorasse um pouquinho para engatar, como engatou depois. Após a sequência de derrotas, tivemos uma sequência de vitórias, com bons desempenhos tático e técnico”, disse.

Temendo que os erros cometidos no Campeonato Paulista se repitam na Copa do Brasil e no Campeonato Brasileiro, Edu Gaspar admitiu que a diretoria está à procura de reforços.

“Com mais duas ou três peças, esse grupo pode ter uma longevidade muito positiva. Vamos buscar as soluções de planejamento e futuras contratações, para que possamos qualificar nosso elenco. Na Copa do Brasil, com uma ou duas derrotas você já está eliminado. No Brasileiro, quatro derrotas consecutivas lhe jogam lá para baixo”, afirmou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade