Futebol/Copa Libertadores da América - ( - Atualizado )

Dupla de zaga do Fla espera tirar lição com partida sem “maturidade”

Rio de Janeiro (RJ)

Diante de seu torcedor, o Flamengo não conseguiu jogar bem, ficou longe de mostrar tranquilidade com a bola no pé para pressionar o Bolívar, viu o adversário inaugurar o marcador no Maracanã, mas ainda assim se recuperou. Já no segundo tempo, o time de Jayme de Almeida virou o jogo, com dois gols de Everton, porém voltou a pecar: a equipe rubro-negra preferiu manter a postura ofensiva e acabou castigado.

Para o zagueiro Wallace, sua equipe não soube perceber o que aquele momento do jogo exigia. Depois de conseguir a virada, o Flamengo precisava mostrar mais atenção na marcação, não dar espaços para o contra-ataque, mas o ímpeto ofensivo se sobressaiu, o Bolívar se aproveitou e acabou chegando ao empate em um lance que deixa claro o mau posicionamento da defesa.

“A equipe deveria ser mais madura. Fizemos 2 a 1 e já não era mais preciso ficar em cima do Bolívar. Espero que a equipe tenha mais maturidade em La Paz. No primeiro tempo, fomos muito bem, começamos bem também no segundo tempo, mas tomamos o gol e sentimos. Não conseguimos ser incisivos. Que sirva de lição”, disse o zagueiro Wallace após o apito final.

Lição que, aliás, o também zagueiro Samir destacou em sua análise. O defensor preferiu amenizar as críticas sobre o desempenho do Flamengo, alegou que a equipe foi guerreira, mas é preciso aprender com os erros cometidos. “O time foi guerreiro. Temos que tirar lições daqui, mas, infelizmente, não era o resultado que a gente queria. Agora temos que descansar, para que, na quarta-feira, a gente consiga reverter o resultado”, analisou o jogador.

Com o empate desta quarta-feira, o Flamengo chegou aos quatro pontos conquistados, dividindo a segunda colocação com o mexicano León. O líder do grupo é o Emelec, que tem sete, enquanto o Bolívar ainda sonha com a vaga, somando apenas dois na lanterna. Desta forma, voltar a perder pontos para os bolivianos em La Paz, na próxima quarta-feira, às 22 horas (de Brasília), poderia deixar a equipe brasileira em situação bastante complicada.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade