Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Elenco do Botafogo protesta contra atraso de salários antes do treino

Rio de Janeiro (RJ)

Assim como havia sido prometido, o elenco do Botafogo mostrou insatisfação antes do treinamento marcado para a manhã deste sábado. Devido ao atraso de salários, os jogadores permaneceram cerca de dez minutos sentados em cadeiras fora do gramado e o técnico Eduardo Hungaro precisou esperar para começar a atividade. Quando o presidente do clube, Maurício Assumpção chegou ao local, o treino já havia começado.

Quando o elenco chegou ao campo, colocou cadeiras em círculo para sentarem durante o protesto. Quando Hungaro apareceu para comandar a atividade, a maioria dos jogadores já estava acomodada ao lado do gramado.

A expectativa era que o ato se estendesse por 30 minutos, mas acabou durando apenas um terço disso. Os membros da comissão técnica acompanharam a manifestação a certa distância.

A ideia do grupo é fazer greve neste domingo e não treinar. Na segunda e na terça, porém, a tendência é que os atletas repitam o protesto antes dos treinamentos, mas compareçam ao Engenhão para seguir preparação para o duelo contra o Unión Española, pela Libertadores.

Entenda o caso – Os jogadores estão insatisfeitos não só com o atraso, mas também com a postura da diretoria botafoguense. Oficialmente, os dirigentes alegam que o clube deve um mês de salários, vencidos no último dia 20. Mas o elenco garante que são dois meses de atrasos na carteira e mais dois meses de direitos de imagem. Além disso, o Glorioso ainda não acertou a premiação pela vitória sobre o Deportivo Quito, que classificou o time para a fase de grupos da Libertadores.

O estopim para o protesto foi o descumprimento da promessa por parte da diretoria, que garantiu que pagaria os vencimentos antes do jogo desta quarta-feira, mas depois comunicou que não havia mais previsão para o acerto.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade