Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Em comunicado, Barcelona nega ter proposto acordo fiscal à Receita

Barcelona (Espanha)

A novela envolvendo a polêmica dos reais valores da contratação de Neymar pelo Barcelona, em julho do ano passado, ganhou mais um importante capítulo. Nesta terça-feira, um dia depois das acusações de ter proposto um acordo fiscal à Receita Espanhola, o clube divulgou um comunicado oficial no qual nega ter procurado a entidade e volta a assegurar que não cometeu irregularidades na contratação do brasileiro.

Embora tenha visto o seu presidente pedir demissão e uma crise assombrar as redondezas de Camp Nou, o Barça reafirmou a lisura no caso. Além disto, no comunicado, “desmente categoricamente ter externado para Receita sua disposição de chegar a um acordo com a condição de admitir a existência de delito contra a Fazenda Pública, para encerrar assim a causa judicial aberta por infração tramitada na Justiça em relação a contratação do jogador Neymar”.

AFP
Um dia antes de enfrentar o Manchester City, pela Liga dos Campeões, Neymar volta a ser o foco fora de campo

O Barcelona vem sendo acusado de ter deixado de pagar mais de nove milhões de euros (R$ 29 milhões) em impostos ao não declarar todos os contratos de Neymar aos fiscais de renda da Espanha. O clube nega ter cometido irregularidades, mas, na última semana, o jornal El País publicou uma reportagem na qual destacou o suposto interesse do clube catalão em fazer um acordo com a Receita. Uma quantia ainda a ser definida seria paga pelo clube, depois de o próprio Barça ter confirmado oficialmente, no mês passado, que pagou 13,5 milhões de euros (R$ 43,9 milhões) extras às autoridades fiscais da Espanha.

Na ocasião, o clube azul-grená justificou o pagamento, dizendo que ele serviria “para saldar qualquer possível dívida tributária desta operação e para melhor defender o nome e a boa reputação de clube”. Com o pagamento deste valor ao fisco, o clube viu aumentar para 99,7 milhões de euros (R$ 320 milhões) o valor pago para ter Neymar, que, assim, transformou-se na maior contratação da história do futebol mundial - acima dos 94 milhões de euros (R$ 301,7 milhões) pagos pelo Real Madrid por Cristiano Ronaldo, em 2009.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade