Futebol/Mercado - ( - Atualizado )

Gobbi adota cautela com reforços e desconversa sobre saída de Sheik

Helder Júnior Guarulhos (SP)

O técnico Mano Menezes tem sido repetitivo sobre a necessidade de o Corinthians se reforçar. Disse até que espera receber dois novos jogadores ainda antes do início do Campeonato Brasileiro e da sequência da Copa do Brasil. O presidente Mário Gobbi, no entanto, continua cauteloso com o mercado.

“Ainda não há nada. Estamos conversando, analisando. Já sabemos o que o técnico quer, mas é preciso fazer o cálculo de valores, do que o clube pode gastar. Estamos indo. Quando fechar alguma coisa, a gente divulga”, comentou Gobbi, que desembarcou com a delegação corintiana em Guarulhos nesta quinta-feira, dia seguinte à vitória por 2 a 0 sobre o Bahia de Feira.

As dificuldades financeiras, de fato, são o grande empecilho para a presidência do Corinthians satisfazer os desejos de Mano Menezes. Na quarta-feira, ainda em Feira de Santana, o treinador chegou a lamentar que o clube tenha gastado “R$ 60 milhões” (só o atacante Alexandre Pato, hoje no São Paulo, custou R$ 40 milhões) na temporada passada.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Em baixa no Corinthians, Emerson Sheik ainda é especulado como o próximo a sair do clube
Conduzindo uma reformulação no elenco campeão mundial de Tite, Mano poderá ainda liberar outros jogadores além de Pato. O atacante Emerson, por exemplo, voltou a ser especulado em uma troca com o Atlético-MG por André, da mesma posição.

“O Emerson Sheik é atleta do Corinthians, tem contrato por mais um ano e meio e está no departamento médico (com lesão na coxa direita) agora. Surgem essas sondagens, mas não há nada de oficial”, desconversou Gobbi.

Apesar dos problemas enfrentados na renovação da equipe, com direito à eliminação precoce no Campeonato Paulista, o presidente do Corinthians não perdeu o seu otimismo para o decorrer do ano. “O planejamento para o nosso time de futebol está pronto. Estamos executando, trabalhando diuturnamente em cima disso. Espero que, em breve, a gente feche o grupo que foi projetado”, concluiu.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade