Futebol/Copa Libertadores - ( - Atualizado )

Gols perdidos são lamentados no Furacão após derrota em casa

Do correspondente Luiz Felipe Fagundes Curitiba (PR)

No dia em que fez 90 anos, o Atlético Paranaense não conseguiu em campo animar a festa do torcedor ao ser derrotado por 3 a 1 para o Vélez Sarsfield-ARG, em partida que valia a liderança do grupo 1 da Libertadores da América na Vila Capanema, e deixou para a última rodada quando encara o The Strongest, na Bolívia, a definição da vaga para as semifinais. O técnico Miguel Ángel Portugal não achou justo o resultado, mas sabe que o time desperdiçou a chance de matar o jogo.

“O Vélez tem jogadores de muita qualidade e aproveitou suas chances para fazer os gols. Nós tivemos muito mais chances, mas infelizmente não fizemos. Por isso o resultado. Não é justo, mas é assim”, analisou o treinador rubro-negro, que isentou os atacantes pelos gols perdidos. “O time foi bem na frente, com toda sua qualidade, com intensidade para criar chances de gol, também pelas alas, mas o goleiro, a trave, a má sorte, não quis que fosse gol”, ponderou.

Os lances desperdiçados também foram lamentados pelo atacante Douglas Coutinho, que chutou uma bola na trave, na pequena área, algo que não deve acontecer em um duelo tão importante “Faltou fazer o gol com as oportunidades que tivemos. Tem que matar a partida. É um jogo decisivo, valendo um primeiro lugar. Como eles erram menos, saíram com a vitória”, avaliou.

Na próxima partida, a última da fase de grupos, o Atlético Paranaense encara o The Strongest na altitude, em partida marcada para o Estádio Rafael Castellón, na Bolívia. Se os bolivianos passarem pelo Universitário, no Peru, nesta rodada, apenas a vitória interessará ao Furacão.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade