Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Há 50 dias no Verdão, Bruno César admite: não está 100% fisicamente

William Correia São Paulo (SP)

Bruno César trabalha no Palmeiras desde 27 de janeiro de 2014 e atuou em seis jogos, dois deles como titular. Mas admite que ainda precisa melhorar sua forma física. Embora já tenha emagrecido e participado de três dos quatro últimos gols do time, o jogador não se sente completamente em forma.

“Ainda não estou 100%”, confessou o meia após o cansativo treino sob forte calor da manhã desta terça-feira. “Preciso de mais ritmo de jogo e da parte física. E só vou conseguir isso jogando”, comentou o meia, vivendo a expectativa de iniciar o clássico de domingo, contra o Santos.

Como o próprio Gilson Kleina diz, o camisa 30 sofre com a volta aos treinos no Brasil após passar pelo Al Ahli, da Arábia Saudita, clube que o emprestou ao Verdão até o fim do ano. “Não estou totalmente readaptado, falta um pouquinho ainda, fiz só dois jogos como titular. Posso dar um pouco mais e ajudar o Palmeiras. Com o tempo, vou melhorando. Já me sinto muito melhor, mas posso ajudar um pouco mais.”

Após a vitória sobre a Ponte Preta, no sábado, quando bateu a falta do primeiro gol e sofreu o pênalti do segundo, Bruno César foi elogiado pelo técnico, mas também ouviu cobrança para marcar mais. “Quero aguentar um jogo inteiro, ajudar mais na marcação, fazer outra jogada. Precisamos de equilíbrio na defesa. Com o tempo, vou poder ajudar e marcar mais”, prometeu o meia.

“Até agora, o Kleina não passou muita coisa. Contra a Ponte, ele pediu para ajudar o Wendel porque eu jogaria aberto na direita, mas com liberdade para me movimentar. É mais a questão de acompanhar o lateral até o final e ajudar na marcação, porque fomos muito ofensivos”, completou.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Meia trabalha no Palmeiras desde 27 de janeiro e já atuou em seis jogos, mas ainda precisa evoluir fisicamente
Bruno César acredita que ainda não está em estágio mais avançado pelos prejuízos da expulsão contra o Botafogo, em Ribeirão Preto. O cartão vermelho fez Kleina atrasar sua evolução nos jogos. “Eu sabia que o começo seria mais difícil, como foi, aconteceram coisas que não esperávamos, como a expulsão e jogos em que pensei que ia entrar com mais tempo”, admitiu o jogador.

“Pedi para sair no sábado porque estava um pouco mais cansado, mas, com ritmo, melhoro a cada jogo. Ele tem a semana cheia para decidir o que fazer. Espero jogar contra o Santos, um jogo importante para nós e para o clube”, afirmou Bruno César, que agradece ao torcedor pela paciência.

“O torcedor cobra, isso é normal. Estamos acostumados. Em time grande como o Palmeiras, não seria diferente. Eu sabia que precisava fazer um jogo bom e, no sábado, tive uma boa atuação. O torcedor teve paciência e está tendo. Não ter aquela cobrança direta é importante, deixa o jogador mais tranquilo e confiante para fazer bons jogos e ajudar o Palmeiras”, constatou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade