Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Justiça alemã condena presidente do Bayern à prisão por fraude fiscal

Munique (Alemanha)

Nesta quinta-feira, o presidente do Bayern de Munique, Uli Hoeness, foi condenado a três anos e meio de prisão por sonegação fiscal. Apesar de ter confessado esconder dinheiro em conta secreta na Suíça, o dirigente do clube bávaro ficou longe de pegar a pena máxima de dez anos. A defesa ainda pode recorrer da decisão.

Durante julgamento, o mandatário admitiu durante a audiência da última quarta-feira que deixou de pagar aproximadamente 27 milhões de euros (cerca de R$ 88 milhões) ao fisco alemão, em dívidas referentes a lucros por especulação em bolsa de valores. Como Suíça e Alemanha não entraram em acordo tributário para resolver a questão, Hoeness optou por confessar a manobra financeira para amenizar a pena, conforme prevê a lei do país.

Aos olhos da promotoria, porém, a estratégia adotada pela defesa é claramente uma tentativa de usar esta brecha da justiça apenas para não amargar muito tempo de detenção, estando longe de representar arrependimento do condenado. Especula-se que o dirigente do Bayern só tenha se entregado pois as investigações já estavam muito perto de provar o desvio de dinheiro sem a necessidade de confissão.

AFP
Para imprensa alemã, pena de três anos e meio pode ser considerada uma "vitória" do dirigente do clube bávaro

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade