Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Muricy credita gols de Luis Fabiano à felicidade no São Paulo

Helder Júnior São Paulo (SP)

O centroavante Luis Fabiano cogitou deixar o São Paulo no final do ano passado, quando era contestado pelo mau momento que atravessava. Demovido da ideia, voltou a ser feliz. Foram dele dois dos quatro gols que garantiram a vitória sobre o Grêmio Osasco Audax na noite desta quarta-feira, no Morumbi, e a classificação antecipada à próxima fase do Campeonato Paulista.

“O Luis Fabiano não está mais tomando cartões de graça nem reclamando com o juiz. Ou seja, está mais feliz. E quem joga no São Paulo precisa estar feliz. Já expliquei isso para ele várias vezes, e as coisas estão acontecendo agora”, comentou o técnico Muricy Ramalho, satisfeito com a evolução do seu artilheiro.

Luis Fabiano não está tão calmo assim. No primeiro tempo do jogo com o Audax, por exemplo, ele se desesperou quando caiu dentro da área e o árbitro Antônio Rogério Rogério Batista do Prado não assinalou o pênalti. “Eu não entendo para que serve o juiz da linha de fundo. A gente tem 500 juízes para quê? Para quê? Só pode ser má-fé. Não entendo. Na hora em que ele viu que era eu ali, resolveu não dar o pênalti”, revoltou-se, no intervalo.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Mesmo feliz, Luis Fabiano se irritou quando caiu dentro da área e o árbitro mandou o jogo seguir
“Não sei se foi pênalti ou não, mas ele teve uma boa chance de gol”, relevou Muricy, encarando a situação pelo lado positivo. O treinador lembrou que Luis Fabiano já era o atleta mais perigoso do São Paulo em campo àquela altura, mesmo antes de o Audax perder o lateral esquerdo André Castro, expulso.

Mas não é apenas a felicidade de defender o São Paulo que explica a boa fase de Luis Fabiano. Como o próprio goleador tem destacado, ele se dedicou bastante durante a pré-temporada e recebeu cuidados especiais da comissão técnica para evitar as recorrentes lesões.

“Com a experiência que tem, o jogador começa a ver o que é bom para ele. Nos últimos anos, o Luis Fabiano entrou de férias e percebeu que não era bom ficar sem treinar. Assim, sofria contusões, essas coisas todas. Agora, desde que voltamos a trabalhar, ele não perdeu nem um treinamento sequer. Isso dá resultado em campo. Não tem jeito. O futebol de hoje é muito intenso. Sem estar bem fisicamente, não tem condições”, concluiu Muricy Ramalho, também feliz.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade