Memória - ( )

Nos 125 anos de Cásper Líbero, legado do jornalista segue vivo

São Paulo (SP)

O desenvolvimento do esporte no Brasil está ligado à história do jornalista Cásper Líbero. Criador de competições e incentivador de diversas modalidades no País, o patrono da Fundação Cásper Líbero, da qual faz parte a Gazeta Esportiva.net, nasceu exatamente há 125 anos.

Natural de Bragança Paulista, no dia 2 de março de 1889, Cásper Líbero se formou quando tinha apenas 19 anos como bacharel em Ciência Jurídicas e Sociais, pela Faculdade de Direito Largo São Francisco.

Criador da primeira agência de notícias totalmente nacional, a Americana, e também um dos fundadores do jornal A Última Hora, o visionário adquiriu em 14 de julho de 1918 o jornal A Gazeta, que pertencia a Antônio Augusto de Covello. Desde cedo, Cásper Líbero mostrava sua paixão pelo esporte e também pelo jornalismo, desempenhando com genialidade seu papel na imprensa. Assim, lançou A Gazeta Esportiva em formato de coluna do periódico.

Gazeta Press
Cásper Líbero foi um visionário do jornalismo
O sucesso fez com que o conteúdo de esportes fosse transformado em um suplemento, em 1928, até que se tornou um jornal independente, em 1947, quatro anos depois da morte de Cásper Líbero em um acidente aéreo. O jornal A Gazeta Esportiva se destacou como o mais completo diário de esportes do País e deu origem ao portal Gazeta Esportiva.net.

A atuação de Cásper Líbero para o desenvolvimento do esporte no Brasil foi além. O grande legado para as competições foi a criação da maior e mais famosa corrida pedestre do mundo: a São Silvestre. Em 1924, o jornalista assistiu a Marche aux Flambeaux, em Paris, e teve a ideia de realizar uma prova em São Paulo. Assim, a primeira edição foi realizada à meia-noite do dia 31 de dezembro de 1925.

O nome da disputa foi escolhido para homenagear o Santo do último dia do ano. A prova seguiu apenas com atletas nacionais por 20 anos, até que passou a receber competidores internacionais. Em 1975, ganhou também a versão feminina. Para completar, em 1994, a prova passou a ter a edição infanto-juvenil: a São Silvestrinha, importante incentivo à prática de esportes para as crianças.

Saiba mais sobre a trajetória do jornalista Cásper Líbero

Confira especial sobre os 66 anos de A Gazeta Esportiva, festejados em 2013

Ou seja, desde sua primeira edição, a São Silvestre só cresceu. Na edição passada, a corrida reuniu mais de 27 mil competidores, no trajeto de 15 quilômetros pelas ruas da capital, com largada e chegada na avenida Paulista, onde fica a sede da Fundação Cásper Líbero.

Além da tradicional disputa em São Paulo, o jornalista também criou outras provas. Em homenagem à Revolução Constitucionalista de 1932, o visionário idealizou em 1933 a Prova Ciclística 9 de Julho. Cásper Líbero, inclusive, chegou a ser exilado pelo Governo Federal por conta de seu apoio à revolta deflagrada em São Paulo. Quando retornou ao Brasil, em 25 de julho de 1934, recebeu o que ficou conhecido como “Homenagem a Cásper Líbero”, no auditório lotado do extinto Rink São Paulo. Era o reconhecimento à sua trajetória no jornalismo.

Antes mesmo das corridas, outra competição movimentou São Paulo. Em 1924, o jornalista lançou a primeira das 20 edições da Travessia a Nado, que percorria 5,5 quilômetros do rio Tietê. A prova só não pôde continuar por mais tempo em função da poluição do rio.

Gazeta Press
O jornalista incentivou o desenvolvimento do esporte
Cásper Líbero também apreciava futebol e, assim, lançou o torneio de várzea Cidade de São Paulo. O jornalista ainda foi inovador para as transmissões de futebol na capital paulista, já que alto-falantes estrategicamente instalados no Vale do Anhangabaú transmitiram partidas realizadas no Rio de Janeiro, em uma época em que as rádios só tinham jogos locais em suas programações.

Além disso, para incentivar os exercícios entre os jovens, o jornalista idealizou os Jogos Universitários Brasileiros. Além da contribuição para o esporte durante toda a vida, Cásper Líbero foi revolucionário para a história da imprensa no Brasil. Em seu testamento, o jornalista determinou que seus bens fossem usados para a criação de uma fundação, que leva seu nome e vai completar 70 anos no dia 15 de agosto de 2014.

Com isso, a Fundação Cásper Líbero deu sequência à história de seu patrono, criando a primeira faculdade de jornalismo da América Latina, em 1947, e também a emissora de televisão. Assim, a instituição mantém o legado sendo composta hoje por Rádio Gazeta AM, Rádio Gazeta FM, Faculdade Cásper Líbero, TV Gazeta e o portal Gazeta Esportiva.Net. O Edifício Gazeta também abriga um teatro com capacidade para 900 pessoas e o Grupo de Cidadania Empresarial, que desenvolve projetos sociais.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade