Futebol/Copa 2014 - ( - Atualizado )

Otimista com a Copa, Ronaldo minimiza polêmica envolvendo Romário

Rio de Janeiro (RJ)

O clima envolvendo Ronaldo, membro do Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo, e Romário, deputado federal pelo PSB-RJ, não é dos melhores. Nas últimas semanas, os dois ídolos da Seleção Brasileira trocaram acusações, referentes a não disponibilidade de ingressos para portadores de deficiência, com baixa renda.

Acerca do caso, Ronaldo foi enfático e expôs não ter culpa do não cumprimento do fato, aproveitando para insinuar que as acusações de Romário teriam fundamento entre uma “rivalidade” nutrida entre os dois nos tempos de Seleção Brasileira. Contudo, o parlamentar não se calou e convidou o Fenômeno para prestar esclarecimento na Câmara dos Deputados, ao lado de José Maria Marín, presidente da CBF.

Após ser taxado de “ignorante e oportunista” pelo maior artilheiro da história das Copas, Romário minimizou o caso e, em carta divulgada, provocou o integrante do COL: "Sobre suas acusações de eu ser ignorante ou oportunista, vou relevar. Afinal, deve ter sido um momento de empolgação ou raiva da pessoa que escreveu o texto para você.".

Contudo, nesta quarta-feira, em entrevista coletiva realizada na sede do COL, Ronaldo foi enfático e tratou de diminuir a polêmica: “Sempre admirei o Romário como jogador. Não tenho nada contra ele. Em algumas situações, pensamos de maneira diferente. Apenas respondi, há alguns dias, umas acusações que ele fez, onde não tenho responsabilidade alguma”, sintetizou.

Deixando o atrito de lado, o Fenômeno mostrou-se ansioso para o Mundial e ressaltou o encargo do Brasil em levar o título da competição: “Jogar dentro de casa é uma responsabilidade maior. Para o torcedor, a festa tem que ser completa, e isso só virá com o troféu. Eu espero isso, já que temos um grande time, formado por jogadores acostumados com a pressão. Aqui, uma parte da população desconfia do evento, mas será uma grande oportunidade para mostrar ao mundo nosso valor, nossa cultura”, pontuou.

Por fim, Ronaldo preferiu “fugir” da questão dos protestos e acentuou sua confiança com o bom andamento do evento: “Nosso trabalho é duro e queremos ver o povo envolvido. Lá fora tenho visto um grande entusiasmo dos europeus em relação à Copa e fico muito feliz com isso. Quando estiver tudo pronto no Brasil, só teremos futebol. Esse será nosso único assunto, que o brasileiro gosta muito mais”, completou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade