Futebol/Campeonato Gaúcho - ( - Atualizado )

Paulão alega insultos racistas e Abel condena torcedores: "Nojento"

Porto Alegre (RS)

A vitória no Gre-Nal 400, conquistada na Arena, pelo placar de 2 a 1, tinha tudo para instaurar o clima de festa entre os colorados após o apito final de Leandro Pedro Vuaden. Todavia, a saída de campo foi marcada pela tensão. O zagueiro colorado Paulão acusou um torcedor gremista de racismo e apontou para o suspeito, na entrada do túnel para os vestiários. Porém, a fuga do suposto indivíduo fez com que o defensor se irritasse e aplaudisse ironicamente os fãs mandantes.

Após rebater o alegado insulto com irônicas palmas, Paulão foi retirado de campo pelos companheiros e encaminhado rapidamente para os vestiários. Presente no momento do incidente, o técnico colorado, Abel Braga, fez questão de comentar o episódio.

“Poderia ter sido uma festa muito legal, mas depois daquela atitude com o Paulão, criou-se uma mancha. A beleza do espetáculo foi perdida. Não gosto de falar deste tipo de coisa, mas como vou deixar barato? É nojento que isso ainda ocorra. Nem dá para definir o sentimento”, lamentou o comandante.

Antes do caso envolvendo Paulão, o Campeonato Gaúcho tinha sido marcado pelas ofensas racistas proferidas ao árbitro Márcio Chagas da Silva, que apitou, no dia 5 de março, o embate entre Esportivo e Veranópolis, no estádio Montanha dos Vinhedos, em Bento Gonçalves.

Na ocasião, além dos gritos vindos da arquibancada, o juiz teve seu carro amassado e coberto por bananas. Contudo, o clube mandante fora punido com uma multa de R$ 62 mil, bem como a perda de cinco mandos de campo.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade