Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Pensando nas finais, Bruno César acredita que será titular na quinta

São Paulo (SP)

Expulso em seu segundo jogo pelo Palmeiras, Bruno César cumpriu suspensão na vitória sobre o São Bernardo e acredita que, na quinta-feira, terá sua primeira chance como titular. O meia emprestado até o final do ano espera substituir Valdivia contra a Portuguesa para já ganhar ritmo pensando nas próximas fases do Campeonato Paulista.

“Agora tenho grandes chances de iniciar como titular. O jogo-treino de sábado foi bom para pegar ritmo. Apesar da parada para o Carnaval, voltamos a trabalhar forte de novo hoje e amanhã vamos trabalhar mais ainda. Vamos ver”, disse o camisa 30 à rádio Transamérica.

O meio-campista, cedido pelo Al Ahli, da Arábia Saudita, marcou gol na atividade envolvendo reservas contra o Taboão da Serra, no sábado. Espera ouvir nos próximos dias de Gilson Kleina que ganhou a disputa com Mendieta para iniciar o próximo confronto no Pacaembu.

“Na quinta-feira, tenho grande chance de jogar. Vamos conversar com o Kleina sobre quanto tempo vou fazer, mas dá para fazer 60, quase 65 minutos para pegar ritmo porque as finais estão chegando. Faltam quatro rodadas, temos que pensar já no futuro”, disse Bruno César, cobiçando a vaga deixada por Valdivia, que cumpre gancho e está com a seleção chilena que enfrentará a Alemanha na quarta-feira, em Stuttgart.

Divulgação
Meia disputa a vaga de Valdivia com Mendieta (Crédito da foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação)
Em relação ao cartão vermelho que recebeu na derrota para o Botafogo-SP por ofender o árbitro com palavrões, Bruno César já pediu desculpas. “Sei que errei. O Kleina conversou comigo e pedi desculpas para o grupo assim que o jogo contra o Botafogo terminou. Isso não pode se repetir”, avisou.

“O time estava perdendo e entrei no decorrer do jogo para mudar a partida. Estava com a cabeça um pouquinho quente. Independentemente de estar perdendo, foi uma atitude errada minha. O Kleina pediu para eu ficar com a cabeça mais tranquila. Tenho que rever e procurar não repetir”, comentou, avisando que cartões vermelhos são raros em sua carreira. “Todos erram. Há muito tempo eu não era expulso. Acho que foi a primeira vez que fui expulso.”

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade