Futebol/Campeonato Catarinense - ( - Atualizado )

Régis explica gesto de silêncio; Chape dispara contra a arbitragem

Chapecó (SC)

A vitória sobre o Marcílio Dias, neste domingo, na Arena Condá, foi muito comemorada pela Chapecoense, que se manteve fora da zona de rebaixamento do Campeonato Catarinense. Mesmo assim, o triunfo não serviu para selar as pazes entre time e torcida.

Tanto é que o meia Régis, autor dos dois gols da equipe, fez questão de calar os quase 4 mil torcedores no estádio. “Eles têm que apoiar ao invés de criticar”, pediu o jogador após o jogo. Mas Régis também aproveitou para minimizar o gesto de silêncio que fez.

De acordo com ele, a ação foi destinada a um grupo específico de fãs que vinham incomodando a equipe já há algum tempo. Mas, durante a partida, parte do público não quis saber e cantou que “ajuda a pagar o salário” de Régis.

Arbitragem: enquanto isto, a Chape continua criticando contra a arbitragem do Estadual. Desta vez, a reclamação é por conta de um suposto pênalti não marcado diante do Marcílio Dias. O técnico Gilmar Dal Pozzo se exaltou tanto que acabou sendo expulso pela primeira vez na carreira.

“Não ofendi o árbitro, só disse que foi pênalti claro”, lamentou, sendo acompanhado pelo presidente Sandro Pallaoro. “É lamentável, uma falta de respeito com a Chape; O futebol catarinense precisa evoluir, começando pela arbitragem”, finalizou.

Polêmicas à parte, os comandados de Dal Pozzo terão mais um desafio nesta quarta-feira. O adversário da vez é o Brusque, que lidera o Hexagonal do Rebaixamento, fora de casa. O time de Chapecó (SC) tem dois pontos a mais do que o Avaí, que abre a zona de degola.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade