Futebol/Copa do Brasil - ( - Atualizado )

Renato Augusto vê “goleada” em primeiro teste ao lado de Jadson

Helder Júnior Guarulhos (SP)

O primeiro jogo em que Renato Augusto e Jadson atuaram juntos como titulares do Corinthians não serviu de parâmetro para a dupla. Os meias lamentaram bastante as condições do gramado do Estádio Joia da Princesa, onde o Corinthians venceu o Bahia de Feira por 2 a 0 na noite de quarta-feira, pela primeira fase da Copa do Brasil.

“Esse placar foi uma goleada”, definiu Renato Augusto, explicando o seu comentário. “A gente praticamente não pôde jogar por causa do gramado. Tivemos que abusar das bolas longas. Os meias acabaram ficando sem função”, lamentou.

O técnico Mano Menezes já pretendia há algum tempo escalar Renato Augusto e Jadson em sua equipe. A fragilidade física do primeiro, no entanto, impediu que o plano fosse colocado em prática antes de o Corinthians ser eliminado do Campeonato Paulista.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Renato Augusto acha que a parceria com Jadson "tem tudo para dar química" no Corinthians
Após o teste inicial contra o Bahia de Feira, Mano também culpou o estado do campo para justificar as atuações sem brilho de Renato Augusto e Jadson. O meia vindo do São Paulo disse o mesmo no final da tarde desta quinta-feira, no retorno de Feira de Santana a São Paulo.

Mesmo com os problemas enfrentados no Joia da Princesa, Renato Augusto se mostrou satisfeito por contar com Jadson ao seu lado. “É um jogador inteligente, que vai buscar a bola e acaba facilitando o meu trabalho. Com ele, a responsabilidade de criação fica mais dividida. Procuro até abrir um pouco mais para dar espaços para ele. Com o tempo, vamos nos conhecendo melhor. Isso tem tudo para dar química”, vislumbrou.

A próxima oportunidade de os meias se entrosarem será contra o Atlético Sorocaba, neste domingo, no Pacaembu, na despedida corintiana do Campeonato Paulista. “Vamos aproveitar para ganhar mais ritmo, até porque o jogo na Bahia não valeu nada tecnicamente. O campo era muito ruim mesmo. Mas, tática e fisicamente, já foi importante”, concluiu Renato Augusto.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade