Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Sem saber quem sai, Fabuloso diz: “Jogar com Pato não será difícil”

São Paulo (SP)

Alexandre Pato chegou ao Morumbi como o principal reforço para a temporada, mas, por causa do regulamente do Campeonato Paulista, ainda não conseguiu estrear com a camisa tricolor. A ansiedade, no entanto, está perto de acabar. Nesta quarta-feira, o camisa 11 vai fazer sua primeira partida pelo novo clube, na estreia pela Copa do Brasil, o que anima os seus companheiros. Luis Fabiano, por exemplo, já planeja boas atuações ao lado do futuro parceiro.

“Jogar com Pato não será difícil, pela qualidade que ele tem, pelas características dele, que se completam com a minha, pois ele gosta de sair da área. Treinamos algumas vezes juntos, mas não teve nenhum ataque formado. Eu não sei quem vai sair, espero que não seja eu”, disse Luis Fabiano, em entrevista ao canal SportTV.

O receio do centroavante tricolor, aliás, não deve ser concretizado na prática. Em boa fase, Luis Fabiano deverá formar o ataque titular do São Paulo, ao lado de Alexandre Pato. Os ‘prejudicados’ com a chegada do camisa 11, portanto, devem ser Oswaldo e Pabón, que lutarão por apenas uma vaga na equipe de Muricy Ramalho.

Artilheiro do Campeonato Paulista, com nove gols marcados, Luis Fabiano atravessa ótima fase com a camisa do São Paulo. O centroavante marcou quatro gols nas últimas três partidas do time do Morumbi, sendo que ainda deixou sua marca na vitória sobre o rival Corinthians, por 3 a 2, neste domingo.

O bom momento, aliado à desconfiança que paira sobre o ataque da Seleção Brasileira, fez com que o jogador chegasse a ser cogitado para integrar a lista de convocados para a Copa do Mundo. O próprio atacante, no entanto, acha bastante improvável que consiga convencer Luiz Felipe Scolari.

“A esperança é a ultima que morre. Eu sei que está complicado, há pouco tempo para a Copa do Mundo, mas temos que acreditar até o final, até o ultimo minuto. Se precisar, eu estou aí”, conclui Luis Fabiano, que vestiu a camisa 9 da Seleção Brasileira na última Copa do Mundo, em 2010, sob o comando de Dunga.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade