Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Sob aprovação de Osmar Santos, bola ‘Gorduchinha’ vira realidade

Demetrius Larocca Lima, especial para a GE.Net São Paulo (SP)

Se os organizadores da Copa do Mundo de 2014 pouco levaram a sério chamar a bola oficial da competição de “Gorduchinha”, a campanha iniciada na internet que pedia uma homenagem a Osmar Santos se concretizou nesta quinta-feira. A Penalty, fornecedora de material esportivo, lançou uma nova bola de futebol com o nome, que é uma referência a um dos mais famosos bordões do ex-narrador. “Ripa na chulipa, pimba na Gorduchinha”, costumava dizer em suas transmissões de partidas.

“Gorduchinha. Muito bom”, repetia diversas vezes um sempre sorridente Osmar Santos durante o evento de lançamento, fazendo sinal de positivo. Desde 1994, quando sofreu um grave acidente de carro, o locutor convive com sequelas que o afastaram de sua função, como problemas na fala e em sua locomoção. Hoje, sua principal atividade é a pintura de quadros, além de ainda ser funcionário da Rádio Globo, onde viveu o auge na carreira esportiva.

Originalmente, uma campanha iniciada por uma agência de publicidade propôs ainda em 2011 que o nome da bola oficial da Copa do Mundo de 2014 fosse “Gorduchinha”, em homenagem ao ex-narrador brasileiro. A ação teve apoio de diversas personalidades do esporte, da televisão e das artes em geral, mas não foi bem sucedida, já que sequer esteve na votação final que definiu o nome como “Brazuka”. Os concorrentes eram “Bossa Nova” e “Carnavalesca”, que foram menos votados.

Fernando Dantas/Gazeta Press
O ex-narrador Osmar Santos elogiou a bola "Gorduchinha", criada em homenagem a um de seus principais bordões

Segundo a agência, a Adidas, empresa que possui os direitos de materiais esportivos da Copa do Mundo, chegou a entrar em contato no início, mas acabou descartando a ideia do nome e nunca mais voltou a conversar sobre o assunto. Entre as alegações da fornecedora alemã, estava a dificuldade de pronúncia e escrita internacional da palavra “Gorduchinha”, além dos direitos sobre o nome, que supostamente pertenciam a outra empresa. A justificativa foi refutada pela campanha, que garantiu que esses direitos pertencem ao próprio Osmar Santos.

Osmar Santos visitou a GE.net na campanha pelo nome da bola. Leia mais

A campanha ganhou apoio de vereadores de São Paulo. Leia mais

O ex-presidente FHC também queria o nome de Gorduchinha. Leia mais

Os apelos pelo nome duraram mais de um ano. Leia mais

Os três finalistas foram Carnavalesca, Bossa Nova e Brazuca. Leia mais

Em setembro de 2012, Brazuca foi escolhida vencedora. Leia mais

“O Osmar está muito feliz, como se percebe, está bastante sorridente. Lamentavelmente, tem poucas palavras hoje, mas já teve tantas e nos encantou muito”, comentou o também narrador Oscar Ulisses, da Rádio Globo, sobre a homenagem a seu irmão. Conhecido como “Pai da Matéria”, Osmar Santos ainda marcou época por sua atuação política e chegou a ser nomeado como “locutor das Diretas Já”, participando de diversos comícios que pediam o direito ao voto popular para a eleição dos presidentes do Brasil, na década de 80.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Sem ser escolhida para a Copa do Mundo pela Adidas, a Gorduchinha foi lançada nesta quinta-feira pela concorrente Penalty

A “Gorduchinha” não será utilizada na Copa do Mundo do Brasil, mas sim nas competições que a marca patrocina, a partir de domingo, substituindo o modelo anterior. Entre elas, estão Copa do Nordeste, Gauchão, Mineiro, Paranaense e outros nove estaduais, além das Séries B e C do Campeonato Brasileiro. Futuramente, a bola também deve ser utilizada em outros países, como o Uruguai, que possui acordo com a empresa.

A ideia é expandir a marca “Gorduchinha” para bolas de outros esportes, além de chuteiras e demais materiais esportivos. A continuidade para os próximos anos, porém, dependerá da aceitação do mercado, segundo o CEO Paulo Ricardo de Oliveira.

“Mais que um negócio, é uma homenagem. Como eu digo, se vender, ótimo. Se não, fica esse reconhecimento”, explicou o executivo. “Quando eu assumi o cargo, há dois anos, já sabia que esse seria meu primeiro grande projeto. Sempre fui um grande fã de seu trabalho, gostava muito de ouvir jogos com o Osmar narrando”, revelou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade