Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Sofrendo com lesões, Verdão deve continuar sem Valdivia e Bruno César

William Correia São Paulo (SP)

Entre os 14 jogadores usados na derrota para o Ituano, o Palmeiras teve seis reclamando de dores e deve continuar, ao menos, sem Valdivia e Bruno César diante do Vilhena, na quarta-feira. O jogo de volta da fase inicial da Copa do Brasil, no Pacaembu, será o primeiro desde a eliminação na semifinal do Campeonato Paulista.

Vítima de pancadas na vitória sobre o Bragantino, na quinta-feira, Valdivia não conseguiu diminuir o inchaço no tornozelo direito a ponto de ser escalado desde o início da partida deste domingo. Mas entrou no sacrifício aos 25 minutos do segundo tempo, quando a torcida pedia o seu nome, e não conseguiu garantir a classificação à decisão estadual.

“Na quinta-feira, o tornozelo dele estava muito inchado. O Valdivia queria vir muito para esse jogo, esse título estava muito dentro do que ele queria. Veio para o aquecimento e disse para ficar no banco. Queria não ter precisado utilizá-lo, mas ele foi bem”, explicou Gilson Kleina.

De chinelos, o meia saiu do Pacaembu sem dar entrevistas e os médicos devem vetá-lo do jogo de quarta-feira. Pouco depois dele, caminhando com mais dificuldades, estava Bruno César, com um plástico segurando compressa na coxa esquerda. É provável que exames confirmem contusão no jogador e o tire dos campos nos próximos compromissos.

Bruno César se machucou quando o time já tinha feito três substituições. Praticamente ao mesmo tempo, Juninho também reclamou de dores. Ambos, porém, continuaram jogando, assim como Wesley. “Também tomei pancada no primeiro tempo, mas procurei ficar para tentar ajudar”, contou Wesley, que deve jogar na quarta-feira, assim como Juninho.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Wesley também reclamou de dores por pancada recebida no primeiro tempo, mas ficou em campo até o fim
Na metade do primeiro tempo, uma joelhada na coxa esquerda não deixou Alan Kardec jogar, apesar de ele ter tentado atuar por mais dez minutos antes de ser substituído sem conseguir andar. “Não sei se foi maldade, preciso ver o lance depois. Se eu tivesse tomado em cima, seria normal. Tentei continuar e chorei nem tanto pela dor, foi porque sabia da minha importância. Mas poderia me prejudicar porque parecia que estava queimando o músculo. Se eu tivesse permanecido, poderia ter aberto o músculo.”

Alan Kardec saiu do Pacaembu mancando, mas a expectativa é de que seja liberado para jogar contra o Vilhena. Assim como Fernando Prass, que se queixava de dores no tornozelo direito desde o treino de sábado, quando defendeu pênalti cobrado por Alan Kardec e o chute foi tão forte que virou seu pé direito. A dor voltou durante o jogo deste domingo e o goleiro foi trocado por Bruno no intervalo, mas sua recuperação deve ser concluída até a véspera do próximo jogo..

Entre os machucados, Wendel foi ao Pacaembu com a delegação neste domingo, mas esteve vetado por lesão na coxa direita e deve continuar como desfalque, assim como seu reserva Bruno Oliveira, ainda em recuperação de desgaste físico. O zagueiro Thiago Martins segue na lista de ausências enquanto busca condicionamento físico após operar o joelho direito em janeiro.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade