Futebol/Copa do Mundo 2014 - ( - Atualizado )

Valcke protela novo “chute no traseiro”: “Perguntem depois da Copa"

Zurique (Suíça)

“O Brasil merece um chute no traseiro”. A polêmica frase do secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, proferida há dois anos, voltou à tona neste sábado, quando o dirigente expôs sua preocupação em relação ao atraso das obras brasileiras para a Copa do Mundo, que começa no dia 12 de junho.

“Perguntem-me quando a Copa do Mundo terminar”, disse Valcke durante um evento da entidade máxima do futebol neste sábado, assim que perguntado se o Brasil mereceria um novo “chute no traseiro”.

Faltando pouco mais de três meses para o início do Mundial, o Brasil ainda apresenta atrasos em algumas obras. Das 12 sedes, nove já foram inauguradas.

“Estamos perto de nos aproximar dos 100 dias antes do primeiro jogo, no estádio em São Paulo, que não está pronto e não estará pelo menos até 15 de maio. Outros dois estádios (Curitiba e Manaus) estão bastante atrasados”, afirmou Valcke.

O dirigente admitiu que a execução do evento não será fácil, mas se mostrou confiante no sucesso da “Copa das Copas” - expressão criada pela presidente Dilma Rousseff.

“Nós ainda precisamos fazer acertos de última hora. Eu acho que as coisas funcionarão, mas se torna um desafio fazer tudo em tempo quando você recebe algo com atraso. Vai dar certo, vocês terão o que estão esperando e as seleções contarão com o melhor ”, afirmou.

AFP
"Chute no traseiro" gerou revolta no Brasil e desconforto entre Valcke e autoridades do país (foto: Vanderlei Almeida)

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade