Futebol/Campeonato Paulista - ( )

Wendel recebe dicas para se tornar mais "irresponsável" no ataque

William Correia São Paulo (SP)

Volante de origem, Wendel já avisou que se considera lateral direito. Tenta, então, deixar de lado as preocupações defensivas para atacar. O jogador recebe dicas de um recém-contratado auxiliar de Gilson Kleina, o ex-lateral direito Alberto, para avançar mais e usar seu elogiado cruzamento.

“Já lhe disse para ser um pouco mais irresponsável para atacar. Ele é muito obediente taticamente, mas o fato de ser um pouco irresponsável, claro que sem esquecer a parte defensiva, era para sair um segundo ou dois na frente, avançando alguns metros e tendo outra leitura de jogo”, comentou Alberto.

O ex-lateral atuou na posição por 19 anos, defendendo Flamengo, São Paulo, Cruzeiro, Siena, Udinese e até Seleção Brasileira, mas destacando-se mesmo com a camisa do Atlético-PR. Agora, passa sua experiência para Wendel, escolhido por falta de concorrência, se firmar sem contestação entre os titulares no centenário palmeirense.

“Eu sabia que o forte dele sempre foi a parte defensiva. E não é para deixar a parte defensiva vulnerável, é para ganhar alguns segundos na frente e chegar mais fácil ao fundo”, indicou Alberto, esperançoso com o pupilo. “A primeira coisa é que o Wendel tem curiosidade de perguntar e vontade de saber coisas diferentes. Ele quer aprender e melhorar, isso é muito importante.”

Divulgação
Volante deve aparecer na frente antes para evoluir (Crédito da foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação)
Na questão ofensiva, Wendel, ao menos, demonstrou grande evolução no principal quesito: cruzamento. Deu duas assistências no ano, a última delas alçando a bola com perfeição para Alan Kardec abrir a vitória sobre o São Bernardo. O camisa 13 ainda tem o diferencial de lançar para trás, surpreendendo os marcadores.

“Você sempre tem que olhar antes de cruzar. Às vezes, você olha para a área e a melhor opção nem sempre está lá dentro, pode vir livre de trás. É uma característica muito do Valdivia, que sempre vem por trás. Tenho feito isso nos treinos com o Kleina, o Juninho, o Jair e o Alberto. Sempre procuramos jogar a bola para quem está melhor colocado”, explicou o lateral.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade