Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Wesley aceita conversar sobre contrato de produtividade para renovar

William Correia São Paulo (SP)

O Palmeiras ainda não pagou nada pela contratação de Wesley e foi acionado pela Justiça pelo fiador do negócio, que exige cerca de R$ 21 milhões. A diretoria, contudo, tenta renovar com o volante, cujo vínculo acaba em fevereiro, e ele se diz disposto a conversar sobre o modelo de contrato por produtividade, com salário menor e premiação maior.

“Tudo é questão de conversar. Mas não veio uma proposta formalizada, não tem por onde começar”, disse o jogador, cujos empresários não se mostram dispostos a aceitar o contrato por produtividade. “Tenho uma pessoa do ramo para resolver, profissionais para resolver isso. Deixei bem claro que estou feliz.”

O camisa 11, contudo, pode assinar pré-contrato a partir de agosto para sair de graça em fevereiro. E não descarta a troca mesmo por um clube rival. “Nunca tudo é muito bem esclarecido, nunca sabemos a fundo o que acontece e, algumas situações, entendem de outra forma. Mas profissional é profissional”, comentou.

O volante, entretanto, ainda não soube de nenhuma especulação sobre o São Paulo. “Não ouvi nada, mas, se tiver alguma coisa, vou ficar feliz, como teve no ano passado e permaneci”, disse o jogador, procurado pelo Atlético-MG durante a Série B do Brasileiro, mas que, como agora, declara seu desejo de continuar.

“Estar bem onde você se sente bem não tem preço que paga. Meu filho está uma figura, gostando cada dia mais daqui, apesar de o tempo ter dado uma mudada esses dias. A minha família está adaptada à cidade. Isso vai pesar”, afirmou. “Estou muito feliz e quero muito continuar, aprendi muito a gostar do Palmeiras, da torcida, me sinto em casa. E resgatei meu futebol aqui.”

Apesar dos rumores, Wesley acredita que disputará o Brasileiro pelo Palmeiras. “Quero muito e torço para que isso aconteça. Estou feliz, adaptado, jogando um bom futebol. Tomara que aconteça tudo de bom para isso se tornar realidade. O futebol é muito dinâmico, as coisas mudam muito rápido, nunca sei o que vai acontecer, mas estou muito feliz e quero muito dar continuidade aqui”, insistiu.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Volante tem vínculo até fevereiro e pode assinar pré-contrato a partir de agosto para sair de graça, mas quer renovar

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade